AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

LIGUE (11) 3181-8266

Tagged as: #JuntosSomosMaisFortes

Rock and roll is the answer

Pode ser um clichê, mas aceitemos que a música está sempre presente nas nossas vidas. Para fazê-las menos triviais. Para pertencer a um grupo, um país, uma geração, um movimento revolucionário. Para, pretensiosamente, transcender. Quantos já sofremos das febres epidêmicas da lambada, do bolero, do cha-cha-chá, do foxtrot e, alguns menos ortodoxos,

Ler Mais

MENOS É MAIS!

Oi Amigos, tudo bem? O pensamento Minimalista é IMPORTANTE para nós, pois curtimos a nossa vida melhor! Temos Muitas coisas em nossa vida que são Muito excessivas! Poderíamos viver sem elas. Você consegue! Quando descobrimos isso nós ficamos mais leves, deixando para traz muitas coisas que nós não precisamos! Será

Ler Mais

Vitaminas, Probióticos, Minerais, Yôga e Tecfidera!

Olá, amigos múltiplos! Hoje foi dia de consulta com a minha querida neuro, Dra. Fabíola Rachid. Na última vez que nos vimos ela receitou uma dupla dinâmica para mim: Vitaminas B12 e D3! Genteeeeee!!!!! Eu já fiz uso dessa dupla, mas não na dose que ela receitou. Fez muita diferença

Ler Mais

Yôga e EM

Boa tarde, amigos múltiplos! Hoje eu venho falar dos benefícios que a Yôga tem feito na minha vida de esclerosada. Como alguns sabem (e bem), a EM nos deixa algumas sequelas. Em mim, elas são muito leves e algumas imperceptíveis para mim (não para minha neuro). Fora a visão, fiquei

Ler Mais

AGOSTO LARANJA

Olá, amigos múltiplos! Meu afilhado me perguntou o seguinte: – Dinda Claudia, é sério mesmo que vocês comemoram doença? Pois é… Não, evidente! O #AgostoLaranja não é uma comemoração, mas uma conscientização! Foram vários eventos espalhados pelo Brasil, em ritimo de alegria, não por estarmos comemorando a doença, mas por

Ler Mais

SOBRE PRECONCEITO

Retornei do Caminho de Santiago pensando nos diferentes tipos de preconceitos que eu já tive. Listei 16 modalidades e falo aqui brevemente sobre cada uma, propiciando, quem sabe, reflexões sobre o tema. Evidente que isso tem uma razão: eu fui uma criança repleta de preconceitos e por conta deles, sofri muito e fiz

Ler Mais