Os medicamentos com estudos de fase 3 finalizados e aprovados para uso pelo FDA (mercado norte americano) e EMA (Europa) são:

Betainterferona 1a subcutânea (Rebif®)
Betapeginterferona 1a subcutânea (Plegridy®)
Betainterferona 1a intramuscular (Avonex®)
Betainterferona 1b subcutânea (Betaferon®)
Acetato de Glatirmaer (Copaxone®)
Teriflunomida (Aubagio®)
Fumarato de Dimetila (Tecfidera®)
Fingolimode (Gylenia®)
Natalizumabe (Tysabri®)
Alentuzumabe (Lemtrada®)
Ocrelizumabe (Ocrevus®)
Cladribina (Mavenclad®)
Fampridina (Fampyra®)

Os nomes comerciais são os mais conhecidos no Brasil, alguns destes medicamentos possuem similares e genéricos com outros nomes em alguns países. Todos são imunomoduladores ou imunossupressores com intenção de reduzir a agressão da EM ao sistema nervoso central, a exceção da fampridina, que não interfere no sistema imunológico e é usada como tratamento sintomático para melhora da velocidade de caminhar.

Medicamentos com bula pela ANVISA para uso no Brasil e disponibilizados pelo Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas da Esclerose Múltipla até abril de 2020:

Betainterferona 1a subcutânea (Rebif®)
Betapeginterferona 1a subcutânea (Plegridy®)
Betainterferona 1a intramuscular (Avonex®)
Betainterferona 1b subcutânea (Betaferon®)
Acetato de Glatirmaer (Copaxone®)
Teriflunomida (Aubagio®)
Fumarato de Dimetila (Tecfidera®)
Fingolimode (Gylenia® e genérico)
Natalizumabe (Tysabri®)

Medicamentos com bula pela ANVISA para uso no Brasil não disponibilizados pelo PCDT até abril de 2020:

Alentuzumabe (Lemtrada®)
Ocrelizumabe (Ocrevus®)
Fampridina (Fampyra)
Cladribina (Mavenclad®)