Como encontrei o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal convivendo com a EM

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter

Como encontrar o equilíbrio entre trabalho, vida pessoal e a Esclerose Múltipla? Dicas para priorizar sua saúde enquanto trabalhamos em casa

 

Autora: Moyna John é uma ativista da Esclerose Múltipla e blogueira freelance.

Pode ser difícil de se manter na corda bamba do equilíbrio entre trabalho e vida pessoal.

Adicione também outros fatores de estresse externos como condições crônicas, filhos e trabalhos domésticos ao mix de tarefas, e lidar com tudo isso pode parecer quase impossível.

A pandemia apenas tornou a manutenção de um equilíbrio ainda mais árdua.

Aprendi logo no início do meu diagnóstico de Esclerose Múltipla (EM) que precisava me controlar. Fui diagnosticada pouco antes da pandemia, aumentando o caos de 2020.

Lutei para encontrar um equilíbrio trabalhando em casa. Comecei a trabalhar o tempo todo, até respondendo e-mails às 3 da manhã. No final da semana, me sentia exausta e sobrecarregada.

Foi difícil desconectar, mas eu precisava estabelecer limites para mim mesma. Esses limites me ajudaram a criar um ambiente de trabalho para ajudar na minha vida cotidiana e na minha condição crônica.

Aqui estão algumas das maneiras pelas quais consegui encontrar um equilíbrio entre vida pessoal e profissional, priorizando minha saúde:

Crie um espaço de trabalho específico

Ao trabalhar em um escritório, geralmente há um espaço designado para você trabalhar. Seja em um cubículo ou uma sala, lá estão os suprimentos para você realizar suas tarefas diárias. 

Porém, ao trabalhar em casa, você pode não ter acesso aos equipamentos, ferramentas e dispositivos de que precisa. É essencial adaptar seu espaço de trabalho para atender às suas necessidades.

Eu comprei uma pequena mesa de canto, abajur e cadeira de computador para minha casa. A mesa é grande o suficiente para acomodar meu laptop e algumas outras coisas. Eu precisava de um espaço que pudesse associar ao trabalho, já que trabalhar no meu sofá não era mais suficiente.

A criação deste espaço me ajudou a estabelecer uma separação entre as horas de trabalho e o tempo pessoal. Meu filho e meu noivo respeitam meu novo “escritório” e me permitem trabalhar lá sem interrupções (bem, às vezes).

Aprenda a dizer não educadamente

A palavra “não” pode ser difícil de dizer no local de trabalho, mas é importante estabelecer limites.

O primeiro passo é ser específico quanto ao seu raciocínio. Pode ser útil consultar o que você tem atualmente em sua agenda e por que você não pode concluir outra tarefa.

Ir além do que você consegue aguentar só vai piorar as coisas – abrindo espaço para um possível surto.

No passado, eu ficava ansiosa ao explicar por que não conseguia concluir uma tarefa devido a um surto de EM ou aos meus sintomas. Mas era honesta e explicava como meus sintomas afetavam minha capacidade de trabalhar. Também tive a sorte de ter um chefe compreensivo.

Claro, cabe a você decidir o quão aberto deseja ser com seu chefe sobre sua saúde.

Também uso o termo bandwidth”, que em inglês significa largura de banda e é o conceito que determina a medida da capacidade de transmissão de uma conexão ou rede, para explicar a capacidade que tenho para atribuições de trabalho. “Eu não tenho largura de banda para isso” é minha parte favorita do discurso corporativo.

O e-book Esclerose Múltipla e o Trabalho fala sobre a relação entre EM e trabalho e as mudanças que às vezes são necessárias para que você e o mercado de trabalho estejam adaptados a essa realidade. Confira no link.

 

Faça pausas quando necessário

Antes da pandemia, as pessoas costumavam fazer pequenos intervalos em um escritório. Em interações rápidas com colegas de trabalho para pegar uma xícara de café, nos afastávamos de nossas mesas por alguns momentos.

Agora que muitas pessoas estão trabalhando em casa, esses momentos não ocorrem com tanta frequência. Pode ser difícil romper com o trabalho contínuo.

Certifique-se de reservar um tempo para você, agendando pausas e horários de almoço. Comprometa-se com essas interrupções e use-as para “desligar” um pouco.

Eu tenho uma hora marcada para o almoço. Se eu não puder almoçar durante esse período, faço questão de reagendar.

Eu também faço pelo menos três pausas durante o dia fora da minha hora de almoço para me levantar e me alongar. Sinto muita rigidez, então preciso me mover para combater isso.

Às vezes até uso minhas pausas para uma pequena soneca. A fadiga é um sintoma que sinto regularmente. Uma das vantagens de trabalhar em casa é que posso ter o descanso que preciso.

Ouça o seu corpo

Acredite ou não, seu corpo fará com que você saiba exatamente do que precisa. Cabe a nós ouvir. Ignorar sinais claros pode ser desastroso para pessoas com condições crônicas.

Dois anos atrás, notei um pequeno ponto embaçado em meu olho direito. Fui ao meu oftalmologista e expliquei o que estava acontecendo. Ele me disse que era normal e que não devia se preocupar.

Algo não parecia certo, mas ignorei esse sentimento. Eu escutei meu médico e,  eventualmente, o borrão foi embora.

Avance um ano depois e o borrão voltou, mas piorou. Toda a metade inferior do meu olho estava embaçada.

Um mês depois, fui diagnosticada com EM. Costumo refletir sobre o primeiro aparecimento dos sintomas. Se eu tivesse ouvido meu corpo, poderia ter começado o tratamento mais cedo e potencialmente ter evitado os sintomas mais graves que sinto agora.

Seja gentil com você mesmo

A probabilidade é que, em algum momento, você tenha dito a si mesma: “Não tenho tempo para autocuidado” ou “Não preciso disso, estou bem”.

Muitas de nós não priorizamos o autocuidado. Muitas vezes acreditamos que nosso foco deve estar no trabalho, na vida doméstica e nos filhos. Mas o autocuidado é crucial porque você está se concentrando em si mesma e em suas necessidades.

Não precisa ser um grande gesto. Pode ser tão simples quanto assistir ao seu programa favorito ou tomar um banho quente. Faça o que for necessário para você.

 

Fonte: Healthline

Tradução e adaptação: Redação AME – Amigos Múltiplos pela Esclerose

Explore mais