Qual o nosso papel no quesito saúde?

Pessoa vestida em trajes cirúgicos verdes, com um estetoscópio no pescoço e jaleco branco segura a mão de outra pessoa.

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter

por Suzana Gonçalves

Afinal, qual é o nosso papel no quesito saúde?

Fui surpreendida com um diagnóstico.

Poderia ser qualquer um, mas a esclerose múltipla é peculiar.

Ela é neurológica e múltipla.

Fui acolhida, mesmo tardiamente, a falta de informações há dez anos atrás, me colocou em desvantagem.

Fui e sou tratada com dignidade, o meu medicamento é de alto custo e o SUS fornece, sou atendida em um Centro de Referência em Esclerose Múltipla via SUS, foi com muita luta e insistência que ele passou a existir e atende mais de trezentos pacientes aqui na Paraíba.

Fui e sou reconhecida, mesmo com a invisibilidade da EM, ser voz na causa faz a diferença.

Sou extremamente grata, a cada profissional de saúde que tem um olhar humanizado diante de uma doença tão complexa e de difícil diagnóstico, parabenizo os médicos, enfermeiros, fisioterapêutas,  psicólogos, farmacêuticos, fonoaudiólogos, nutricionístas e tantos outros que sabem ser colo, escuta e ajuda na hora certa. O serviço multidisciplinar se faz necessário, não só na EM, mas em tantas outras doenças.

Me sinto incluída no contexto, me sinto à vontade e vislumbro um mundo de possibilidades e superação mesmo nas dificuldades.

Viver a EM sozinha é uma situação, mas ter ao seu alcance informações científicas, culturais, sociais e acolhimento através de ONGs e Associações é um divisor de águas. Elas nos dão a oportunidade de participar ativamente das lutas por políticas públicas de qualidade e igualitária. Assinamos inúmeras petições, somos voz e não somente mais um paciente em tratamento.

Elas nos ensinam a buscar qualidade de vida de maneira coletiva e assim se evidencia cada vez mais a luta social consciente por um sistema de saúde de qualidade.

Saúde eu quero

Saúde nós queremos

Saúde um direito de todos

 

Suzana Gonçalves

@maturidademultipla

Explore mais

Emoções

Sobrevivendo

por Suzana Gonçalves Procuro palavras para descrever este último ano, mas elas me faltam. Vivendo na linha tênue das emoções, o medo rondando a minha

Ativismo e Direitos

Devemos continuar com a nossa participação social

Olá meus queridos espero que estejam bem na medida do possível, diante de uma situação tão penosa. Aqui estou, meus amados amores múltiplos, pensando nas