Minha amiga na Esclerose Múltipla: a faixa de alongamento

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Um objeto simples como uma faixa de alongamento pode ser sua melhor amiga na rotina de atividade física, principalmente após a Esclerose Múltipla. A escritora Lisa Emrich conta neste texto sobre sua relação com o exercício ao longo da vida. Boa leitura!

***

Os efeitos da Esclerose Múltipla (EM) podem levar a uma mudança na atividade física e nas habilidades. Isso pode ser positivo e negativo para o nosso bem-estar. Algumas mudanças podem realmente ser benéficas. Mas só porque a Esclerose Múltipla muda nosso corpo de uma maneira que torna as coisas mais difíceis, não significa que apenas deixamos isso acontecer e não fazemos nada sobre isso.

A Esclerose Múltipla me motivou a me tornar mais ativa

Após um diagnóstico de EM, podemos nos sentir inspirados e encorajados a nos tornarmos mais ativos fisicamente, a fim de neutralizar os potenciais efeitos negativos da doença em nossa força muscular, flexibilidade e coordenação. Minha própria decisão de comprar uma bicicleta há alguns anos foi um ponto de virada para eu me tornar mais ativa depois de viver uma vida principalmente sedentária. Andar de bicicleta me ajudou a desenvolver confiança em mim mesma, mover meu corpo de uma forma que melhora a aptidão física e me divertir!

Ao longo dos anos, fui desafiada com problemas de equilíbrio. No início do meu diagnóstico, procurei ajuda de um fisioterapeuta especializado em doenças neurológicas. Ela me ajudou a aprender a combater os efeitos da falta de equilíbrio. Não trabalhamos apenas exercícios de equilíbrio vestibular, mas trabalhamos no fortalecimento de grupos musculares importantes. Isso teve um efeito positivo significativo no meu bem-estar físico e mental. Também foi divertido poder usar a impressionante coleção de aparelhos de musculação da minha fisioterapeuta em sua clínica.

Ferramentas simples também podem ser úteis

Combater alguns dos efeitos da Esclerose Múltipla não requer uma bicicleta ou outro equipamento complicado. Algo tão simples e compacto como uma cinta de nylon trançada forte pode fazer muita diferença.

Ioga

Ao longo dos anos, experimentei espasticidade nas pernas, músculos tensos, músculos fracos e falta de coordenação. Esses sintomas podem causar dor e afetar a mobilidade. A certa altura, meu neurologista sugeriu que a ioga e o alongamento regular poderiam ser úteis para combater alguns desses sintomas. Ioga sempre foi bom, mas não chegava aos lugares que eu sentia que precisavam de mais atenção às vezes.

Faixa elástica de alongamento na Esclerose Múltipla

Quando comecei a sentir dor intensa no joelho há uma década, fui apresentada a uma fisioterapeuta diferente. Ela descobriu que músculos muito tensos e encurtados estavam contribuindo para a redução da flexibilidade nas minhas articulações. Foi durante as sessões que ela me apresentou os benefícios de uma faixa elástica. Usei por um tempo em casa, mas acabei encontrando um lugar em uma gaveta da cômoda (e esqueci) entre minhas meias.

Alongamento e recuperação da cirurgia

Mais recentemente, fiz cirurgias no joelho e minha fisioterapeuta trouxe uma faixa elástica. “Ei, eu conhecia aquilo”, pensei. Mas, desta vez, os alongamentos sugeridos realmente atingiram os pontos necessários. Se você não estiver familiarizado com uma faixa de alongamento, é um cordão longo de nylon dobrado e plano que é costurado de forma a criar vários laços ao longo de seu comprimento. Esses laços são muito úteis porque você pode facilmente deslizar o pé em um e pegar outro laço para puxar suavemente da maneira que quiser.

Alongamentos que mais ajudaram

O alongamento que mais me ajuda, enfoca na teimosia dos meus tendões. Com a alça, posso colocar meu pé em uma das alças centrais e usar minhas mãos para pegar as alças penduradas em cada lado da minha perna. Deitada na cama ou no chão, posso levantar e endireitar lentamente minha perna enquanto gentilmente uso a alça para puxar meu pé em direção à minha cabeça.

Se estou realmente concentrada no exercício e mantendo meu joelho reto (como sei que deveria), às vezes só consigo levantar minha perna esticada a um ou dois pés da cama/chão. Mas à medida que o músculo isquiotibial (grupo de músculos localizados na parte posterior da coxa) na parte de trás da minha perna se afrouxa, começo a alcançar a sola do meu pé, ficando mais perto de deixar reto em direção ao teto.

Com o uso da faixa de alongamento (que, como mencionei antes, é minha amiga) na Esclerose Múltipla, posso manter meus ombros relaxados e não preciso chegar muito longe ao manobrar minha perna. Torna mais fácil vencer a rigidez nas minhas pernas. Sempre que minhas pantur

rilhas começam a reclamar e ficam tensas, aprendi que dar um bom alongamento aos meus isquiotibiais geralmente fará com que as panturrilhas sucumbam a algum alongamento também.

As opções de alongamento na Esclerose Múltipla são infinitas!

A faixa de alongamento elástica tem muitos outros usos, mas esse é o meu favorito. Para os curiosos, existem muitos vídeos no YouTube que apresentam diferentes maneiras de usar a faixa para ajudar diferentes partes do corpo.

Você tem uma ferramenta simples que pode usar em casa que ajuda a manter seu corpo funcionando como gostaria? Por favor, compartilhe suas histórias!

Leia mais no site da AME:

Tradução e adaptação: Redação AME – Amigos Múltiplos pela Esclerose

Fonte: Multiple Sclerosis Net

Escrito por Lisa Emrich, em 26 de maio de 2022.

Explore mais

Clube AME

Vivendo com uma doença rara

A convivência com uma doença rara é desafiadora e única de muitas maneiras