Comunicação e convivência positiva

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Reconhecer, compartilhar e expressar o que nos preocupa nos ajuda a lidar com emoções fortes e aliviar o nosso desconforto. Nós não podemos viver sem nos comunicarmos, e mesmo quando optamos por permanecer em silêncio porque estamos comunicando alguma coisa. Todo comportamento humano comunica algo: através de palavras ou gestos, silêncios, movimentos ou inatividade.

Comunicar (“communis” que em latim significa comum) é a transmissão de pensamentos e ideias reunidos. A comunicação acontece sempre entre dois seres e algumas vezes o que é dito, não necessariamente será recebido e compreendido, dependendo, é claro, das próprias emoções. Daí a quantidade de mal-entendidos e os conflitos entre as pessoas.

 Abaixo listamos alguns pontos importantes que devem ser considerados para melhorar seus relacionamentos através de uma comunicação mais aberta e honesta:

 Pare de discutir sobre as coisas e expresse o que você sente

Discutimos quando confrontamos argumentos, enquanto poderíamos falar e compartilhar sentimentos, porque eles sim são sempre legítimos e indiscutíveis. Expressar o que se sente, sem justificativas, buscando o entendimento mútuo.

 Administre a confiança adequadamente

Use a “estratégia da cebola”, que consiste em, de acordo com sua intuição ir fazendo pequenos testes de confiança, para te ajudar a decidir quantas ‘camadas’ você pode remover com cada pessoa ou grupo.

 Aprenda a viver sem expectativas

Todo mundo tem diferentes valores e critérios, de modo que não podemos esperar que eles ajam exatamente como nós queremos. Se você acredita que nunca vai decepcionar as expectativas (seja as suas ou a dos outros) você está errado.

 Use o canal da liberdade com sabedoria

Você pode usar quatro canais diferentes que produzem efeitos muito diferentes , por exemplo, se você quiser que alguém fique com você poderia usar:

 -Canal pedido: “Eu te peço, fica comigo”, você está se comunicando a partir de uma posição de inferioridade.

 -Autoridade Canal: “Você tem que ficar”, comunicando-se de uma posição de superioridade, sem permitir outra escolha.

 -Canal das expectativas: “Espero que você fique comigo “, segue-se a partir de uma posição de superioridade, enquanto camufla uma verdadeira liberdade de escolha.

 -Canal da liberdade: “Eu gostaria que você ficasse, mas você sempre pode fazer o que preferir.”

Tome cuidado na comunicação cotidiana

Alguns pequenos gestos são muitas vezes mais eficaz do que as palavras quando se trata de mostrar os nossos sentimentos. Na verdade, expressar diariamente apreço mútuo e confiança entre as pessoas supera qualquer discurso.

 Comunique-se corretamente com você mesmo

Não adianta pensar em mudar a maneira como você trata os outros se você não consegue fazê-lo a si mesmo, uma vez que a sua exigência não te deixarão comunicar-se adequadamente.

 Respeite os limites da franqueza e do acompanhamento

É importante certificar-se de que a outra pessoa está pronta para receber uma dose de sinceridade que você esteja prestes a dar. Tente evitar grandes sermões, ajudando-os a descobrir suas próprias soluções e caminhos.

 Comunique-se na primeira pessoa

Quando falamos na primeira pessoa ao invés de usar generalizações assumimos plenamente a nossa responsabilidade pessoal em mudar as coisas.

 Aprenda a ouvir e ter empatia

Para entender a situação em que a outra pessoa está é essencial entender seus sentimentos prestando atenção às suas palavras, tom de voz, gestos, silêncios… É preciso nos colocarmos em sua pele.

 Busque sempre a união

Às vezes não é possível resolver as diferenças entre as pessoas, mas, se encontrar algo que motive a união o seu relacionamento vai melhorar substancialmente.

Para alcançar uma comunicação e relações mais eficazes é essencial lembrar que: em uma conversa as palavras ditas importam menos do que os sentimentos que provocam em cada pessoa. Portanto, somos desafiados a usar todos os nossos recursos para melhorar o nível de compreensão, tanto para nós mesmos como para os outros.

 

Avempo. Traduzido livremente. Imagem: Creative Commons.

Explore mais

Clube AME

Vivendo com uma doença rara

A convivência com uma doença rara é desafiadora e única de muitas maneiras