Como anda a sua memória?

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter

Pensamentos e problemas de memória, também conhecidos como problemas cognitivos, podem ser comuns em quem convivem com EM. As questões incluem memória, atenção, planejamento, tomada de decisão, compreensão ou concentração.

Algumas estratégias para compensar problemas cognitivos e exercícios para treinar seu cérebro podem ajudar.

Para a maioria das pessoas, os sintomas cognitivos são relativamente leves e podem variar de um dia para o outro. Você pode inclusive, não reconhecê-los como um aspecto da EM e colocá-los em outras razões, como estresse, excesso de trabalho, cansaço ou simplesmente ficar mais velho.

 

O que pode causar problemas cognitivos?

Os problemas cognitivos na EM são o resultado de danos nervosos no cérebro interrompendo a transmissão de mensagens elétricas, reduzindo a velocidade e a precisão das informações. Pode ser útil pensar no sistema nervoso como uma central telefônica – se o isolamento de alguns dos fios for danificado e outros fios forem quebrados, isso resultará em alguns números errados e em algumas chamadas que não estão sendo acessadas.

 

Aqui, trazemos algumas estratégias para ajudar esses sintomas:

Gerenciar sintomas cognitivos geralmente envolve encontrar estratégias que funcionem para você, a fim de minimizar os efeitos de seus sintomas.

– estabelecer uma rotina fixa – manter as coisas no mesmo lugar ou fazer as coisas em uma determinada ordem ;

– usar truques verbais para ajudá-lo a lembrar-se de coisas – por exemplo, “salte adiante, recue” para lembrar-se de que modo os relógios mudam por uma hora na primavera e no outono;

– associações visuais e verbais podem ser úteis – por exemplo, retratando “o Sr. Carlos” como “o homem com um chapéu”, ou colocando etiquetas significativas em palavras ou nomes como “Carole, a senhora que trabalha na biblioteca”;

– usando agendas ou smartphones para lembretes;

– priorizando tarefas para focar em uma coisa de cada vez e remover distrações sempre que possível, por exemplo, sentado em uma parte mais quieta do escritório ou desligando a TV;

– dividindo tarefas mais longas em partes mais fáceis de administrar e realizando-as em alguns dias;

– evitando fazer coisas quando você está cansado ou ansioso, então você tem mais chance de ficar focado.

Se seus problemas cognitivos forem agravados pelos outros sintomas da esclerose múltipla, a administração desses sintomas pode ajudar.

Por exemplo, se o calor é um problema, o uso de terapias de resfriamento, como ventiladores ou ar condicionado, pode ser útil. Da mesma forma, gerenciar sintomas como estresse e ansiedade pode ajudar. Você poderia tentar estas técnicas:

– relaxamento corporal guiado

– aromaterapia

– exercícios de respiração

– atenção plena

– meditação

– ioga

 

Aumente sua reserva cognitiva

A reserva cognitiva é a capacidade do cérebro de usar seus caminhos nervosos de maneira mais eficiente ou de encontrar caminhos alternativos, se os habituais estiverem danificados.

O cérebro de todos é diferente. Inteligência, experiência e educação contribuem para a sua reserva cognitiva, e as pessoas com maior reserva cognitiva têm mais um amortecedor contra as dificuldades cognitivas. Quanto mais forte e resiliente o seu cérebro, mais você será capaz de lidar com possíveis danos na EM.

No entanto, a reserva cognitiva é um alvo em movimento, não um acordo fixo. Você pode construir ou manter sua reserva cognitiva, uma vez diagnosticada com EM. Mantenha seu cérebro ativo e saudável , tanto quanto você puder. Mantenha os seus hobbies, mesmo que eles não sejam tão confortáveis, encontre jogos, palavras cruzadas que você goste. A leitura, a escrita e o exercício físico também ajudaram a reduzir o declínio do volume cerebral e o declínio cognitivo.

 

Reabilitação cognitiva

Se algo é difícil, tendemos a evitar fazê-lo. É provável que isso resulte em um declínio na capacidade à medida que saímos da prática nessa tarefa. A reabilitação cognitiva envolve o fortalecimento da função cerebral e a reciclagem de vias neurais usando uma série de exercícios desafiadores.

Essa abordagem costumava ser reservada para os casos mais graves de declínio cognitivo. Reabilitação cognitiva é agora reconhecida como sendo eficaz no início da EM também, onde anteriormente você poderia ter sido aconselhado a simplesmente tomar a abordagem estratégica para gerenciar a situação. A reabilitação cognitiva funciona melhor se os exercícios que você fizer forem adequadamente adaptados para corresponder às situações com as quais você tem problemas.

Praticar exercícios cognitivos bem desenhados produz melhorias, pelo menos em situações de teste. Melhorias no mundo real são mais difíceis de provar, mas a memória verbal, a memória de trabalho, a velocidade de processamento da informação e a fluência fonética (linguagem) podem ser melhoradas com a reabilitação cognitiva. O exercício físico mostrou aumentar o volume do cérebro e conectividade.

 

 

Fonte: https://www.mstrust.org.uk/life-ms/wellbeing/thinking-and-memory-problems – Traduzido e adaptado – Redação AME.

Explore mais