Jogo da vida

Você deixaria de brincar se soubesse há uma carta no jogo que, quando sorteada, te faz ficar parado na mesma casa do tabuleiro por 2 rodadas (ou mais)?

Eu não deixo.

Enxergo a esclerose múltipla como uma carta do jogo da vida. Você está seguindo a sua rotina e, de repente, pá! Ela te faz parar.

O jogo continua sendo interessante mesmo com a “carta EM”.

Quantas casas de tabuleiro foram alcançadas até você precisar parar? Muitas. Eu diria até que a maior parte do jogo da vida é de avanços e vitórias.
Acredito que os momentos de pausa são extremamente importantes. Conhecer os sinais do seu corpo, reconhecer os gatilhos de surto, melhorar sua relação com si e com as pessoas, e aprender a lidar com a doença também fazem parte do tratamento.

Foi durante esses momentos de pausa que busquei uma rede de apoio. A família e amigos te acompanham, mas não sentem o mesmo. Eles te ajudam, mas não sabem como é difícil se reerguer.

Use a internet para buscar pessoas reais, pacientes que lidam com a mesma carta e que não vão te puxar pra trás. Elas vão segurar sua mão e te ajudar a entender que todos temos dias de vitória e de “carta EM”, vivemos entre choro e gargalhadas, momentos de aceitação e revolta. É natural! Não tem receita, não tem regra.

Ah! Um detalhe: não torne a carta EM o centro do seu jogo. Tem outras coisas muito mais interessantes e que realmente merecem sua atenção.

Texto por Mirna