Compartilhando minhas histórias

Por Telma

Quando me convidaram para ser blogueira da AME eu pensei:
“Eu?? Blogueira da AME??
Mas como eu???
Que é que eu posso dar??”
E depois a ficha caiu.
Eu vou dar tudo o que já recebi: Amor.
Na altura em que descobri que tinha a EM, por piada e por graça com uma amiga minha que está na suiça (eu estou em Portugal), criei um instagram.
Este instagram era para seguir a Youtuber Evelyn Regly.
Na altura estava a ser acompanhada pela minha nutricionista, a minha amiga queria perder peso e a Evelyn estava com um programa que era “Seca a Vaca”.
Depois de falar com a Sofia, a minha amiga, pensei:
“O que é que me impede de seguir este programa?
Ninguém me conhece.
Portugal não está muito virado para as redes sociais e o que tenho é só de partilhar as minhas refeições.
Até pode ser que fale com outras pessoas e que partilhe receitas e exercícios físicos.”
E assim foi criado o @lovelifetelma. Foi este o verdadeiro motivo: Seguir o programa “Seca a Vaca”.
Recordo que nós seguíamos afincadamente a Evelyn Regly e que de repente… no meio do meu feed… apareceu algo da esclerose múltipla.
Era uma explicação sobre o que era a EM.
Pensei:
“Ninguém dos meus amigos sabe que eu tenho insta por isso, porque não partilhar?”
E partilhei esse post com a hastag #EscleroseMultipla.
Foi aí que, de repente, houve uma pessoa que queria falar comigo em privado.
Fiquei assustada porque era alguém que eu não conhecia e eu sempre fui uma pessoa muito desconfiada de tudo.
Mas… deixei o coração falar mais alto e aceitei falar com ela.
A pergunta era simples
“Oi. Você tem Esclerose Múltipla?”
Confesso que gelei e questionei como é que ela sabia que eu tinha a EM se eu só tinha fotos de comida ou de exercícios físicos? A minha memória de Dory tinha-se esquecido da postagem que tinha feito…
Respondi que sim.
Prontamente ela me disse.
“É que eu acho que também tenho… estou a fazer exames”
E agora como é que descalças a bota Telma, pensei. Agora é que eu já não podes voltar atrás.
Senti uma responsabilidade enorme com ela e senti que ela deveria saber que não estava sozinha e que eu estava com ela.
De seguida descobrimos que tínhamos a mesma idade, fazíamos anos no mesmo dia, e tínhamos filhos com a mesma idade. Isto só podia ser um sinal positivo.
Descobrir alguém, do outro lado do mundo, com o mesmo que eu e com tantas coincidências… só podia ser um sinal.
Fomos falando e comecei a conhecer muitas outras pessoas com EM no Brasil.
Falei com a minha amiga e ela sempre me incentivou a continuar com o insta, a partilhar experiências, momentos, a ser eu mesma, porque segundo ela… “precisamos de pessoas verdadeiras”.
E assim começou a minha “vida” nas redes sociais.
Com um simples gesto já fiz tanta coisa, já falei com tantas pessoas mas acima de tudo… sou tão mais completa, mais feliz.
Por causa de vocês aprendi que viver é tão simples e que a EM pode ser vivida de forma leve e que ela não nos impede de ser feliz.
Por vossa causa já estou em Portugal a dar a cara pela EM.
Por vocês descobri um outro mundo. Um mundo que leva sempre um sorriso no rosto e amor no coração. Um mundo onde não há medo de nos darmos ao outro porque quando damos amor recebemos tanto mas tanto amor…
Quantas e quantas vezes vocês secaram as minhas lágrimas, fizeram-me soltar a maior gargalhada e levantar a cabeça e a seguir em frente?!
Por isso chegou a hora de vos poder retribuir todo o amor que vocês me dão e que eu ainda sinto todos os dias.
O meu sonho é um dia poder dar um abraço bem grande a umas quantas pessoas.
Felizmente uma já abracei!
Estarei aqui para vos dar um pouco de mim e trazer um muito de vocês.
Obrigada, muito obrigada por estarem comigo, por não largarem a minha mão.
Afinal de contas…
Temos um oceano que nos separa, mas um imenso céu que nos une a todos.
Beijos desta lusitana que vos ama.