VIVER COM EM NESSES TEMPOS SOMBRIOS

Olá amigos múltiplos, espero que estejam bem, apesar do momento triste e sombrio que estamos vivendo com tantas atrocidades ocorrendo em nosso país.
Confesso a vocês que não estou me sentindo nada bem com o desenrolar dessas últimas eleições, não que eu esteja dizendo que sou filiada a algum partido e que esse não venceu as eleições. Longe de mim fazer esse trabalho aqui, mas diante de toda a troca de governo, tanto Federal como Estadual, nós pacientes de doenças crônicas, raras, graves que recebemos medicamentos de alto custo nos sentimos muito inseguros, pois além de saber que a cada ano eleitoral nossos remédios costumam atrasar muito, com esse novo governo que nem iniciou o seu mandato e já está deixando claro que irá cortar nossos direitos como cidadãos trabalhadores, acabando com décimo terceiro e férias, aumentando a contribuição de aposentados ainda mais, desrespeitando os funcionários públicos, como se sentir confiante que ele não vai acabar com o nosso Alto Custo? Já mexeu no programa Mais Médicos e os médicos cubanos abandonaram o programa por não concordarem com a mudança nas regras propostos pelo presidente eleito.
Só no meu município, interior de São Paulo, perdemos mais de 29 médicos cubanos que estavam nos postos de saúde.
Outra instituição que corre perigo é o Sistema Único de Saúde, que já nos pede ajuda há algum tempo, que no governo de Temer perigou em bani-lo, imaginem agora, que esse que está aí está a pedido e proteção do mesmo.
Bem, hoje estou aqui para alertá-los sobre esse assunto. No meio do caminho, esses últimos meses vi muitos de nós dizendo que a única coisa que importa é mudar o Brasil e no meio desse discurso, terminavam dizendo que todos os políticos são iguais e que eles mesmos nem se interessam por política.
Gente como assim? Temos que mudar esse discurso no Brasil.
Somos uma comunidade de Esclerose Múltipla, a AME uma Associação que nos representa, assim como muitas, todos lutam, choram e comemoram pela mesma causa, portanto, não tem como não sermos políticos, não nos preocuparmos com a política? Em quem irá nos governar! Nossa vida é política e temos que nos antenar no que está acontecendo no país para que não aconteça de uma hora pra outra, perdermos os nossos direitos, de nos colocarem na figura de quem deve favores ao Governo, já que você precisa de medicamento de alto custo para sobreviver, é preciso conhecer o que diz a nossa Constituição.
Fazemos parte das minorias do país, ou seja, aquelas que sempre são descriminadas e maltratadas nos governos que não prezam pelo social.
Esses dias fui buscar minha medicação na farmácia de alto custo e observei de perto, ali é um local onde você se sente igual a todos, mas nem todos entendem assim infelizmente. Pacientes com doenças cardíacas, junto a pacientes com doenças mentais, com pacientes de doenças neurológicas e mais, todos ali pela mesma causa, nossa saude. Aqueles mais vestidos, com aqueles menos e aqueles descalços.
Logo que peguei o meu remédio na mão, olhei a minha volta e me voltou a vontade de chorar.
Como nós minorias, resistiremos nesse país cheio de ódio e violência?
Estou me sentindo sem esperança. As pessoas estão desumanas, intolerantes e agressivas. Estou com medo!
Nesse fim de semana, fui com minhas sobrinhas ao cinema, estava na fila e de repente, na maior cara dura, uma mocinha de 20 e poucos anos, entra na minha frente com seu namorado, furando a fila. Eu discretamente disse: ” Tudo bem você entrar na minha frente, sem pedir licença, na cara dura. Eis que a criatura vira pra trás gritando: ” Tem lugar marcado, nunca pedi licença pra entrar no cinema.” Confesso a vocês que me senti uma idiota, realmente compramos o ingresso por assento, mas e daí? Quer dizer que não se respeita a fila? Por que se faz fila então?
Não consegui me defender daquela agressão, uma vez que a criatura ficou gritando : “Vai senhora, pode ir”. A única coisa que respondi foi “Vai, vai você que está com pressa!”
Enfim, me senti muito mal e até pensei : “Será que a EM me deixou tão passada que não estou sabendo mais me defender?”
Mas, cheguei a conclusão que não estava esperando por uma agressão em pleno o domingo a tarde na fila do cinema então, me pegou de surpresa!
Estamos vivendo em tempos de ódio, mas espero que o amor vença no final.
Vou ficando por aqui….
Milhões de beijinhos e até ….