VAMOS FALAR DE SEXO?

Oi meus queridos amigos múltiplos.
Vamos falar de sexo? Sexo na esclerose múltipla? Com certeza, muito importante para cada um de nós, aqueles com esclerose múltipla e aqueles que não a tem.
Para uns "fazer amor" para outros "transar" com ou sem romance é exatamente a mesma coisa.
Sabe me lembro perfeitamente de antes do diagnóstico, quando já estava sentindo a EM em minha vida, nem o sexo era bom. Era muito desgastante, eu me sentia tonta e muito cansada por uma simples transa, e ficava pensando "o que pode tá acontecendo comigo se no primeiro ano de "casada" já tô assim?" Pois acabava sem vontade de fazer amor com o homem que é o amor da minha vida! O que podia ser aquilo?
E hoje eu sei a resposta, já era a esclerose múltipla!
Depois que fui diagnosticada aprendi com todas as informações dos médicos e profissionais da saúde sobre os problemas que a esclerose múltipla pode causar nas nossas relações sexuais.
Além da pesada carga emocional e psicológica que a EM nos traz quando a descobrimos, existe o problema da disfunção corporal, algumas vezes temos alguma parte do corpo que não responde tão bem as nossas ordens. Nos homens pode haver problemas de disfunção eréctil e de ejaculação. A perda de libido, como é conhecida popularmente como apetite sexual, podendo acontecer nas mulheres assim como nos homens, problemas de orgasmo, espasmos musculares e sensações diminuídas também.
No meu caso, confesso que depois do surto que tive dormência dos membros inferiores e fiquei sem sentir nada do umbigo até a ponta dos pés, fiquei com menos sensibilidade na região da virilha, e isso permaneceu por um bom tempo, mas minha sensibilidade voltou quase ao normal depois de alguns meses, mas depois disso a sensação ficou diferente e não voltava a ser como antes da EM.
Um belo dia, uma amiga apareceu em minha casa vendendo acessórios de sex shop, dizendo que aquilo vendia muito bem, e eu "pateta" que sou, caí direitinho, comprei um monte de coisinhas para vender.
Bom, resumindo, não vendi quase nada e tenho essa caixa até hoje guardada, mas num certo dia mexendo na caixa, eu e o Baby resolvemos experimentar um vibrador clitoriano.
Amigos confesso que foi ótimo, e agora posso dizer que só assim voltei a sentir "tudo" de novo!!!!
Até mais do que antes da EM.
O vibrador clitoriano foi algo que entrou na lista das coisas boas que ganhamos com a EM.
Apesar que sabemos que com a esclerose multipla, nossa disposição diminui muito, uma das coisas que mais influencia na vida sexual, afinal é um grande esforço físico que fazemos durante a relação.
Uma das coisas que percebi é que quando estamos realizando exercícios físicos, a nossa disposição aumenta, junto à nossa disposição sexual.
Outra questão muito válida, é evitar fazer sexo, quando já estamos fadigados, pois senão será mais demorado para se recuperar das energias gastas.
Não podemos dizer que a EM não atrapalhe, pois seria uma besteira muito grande e uma verdadeira mentira. Começando com nossa disposição. Não temos disposição para arrumar a casa durante o dia e depois transar a noite inteira, afinal são dois exercícios físicos pesados. Depois temos o problema da espasticidade, as vezes, no meio da brincadeira, vem aquela dor, que repuxa tudo, dando aquela sensação terrível de câimbra e aí é só risada. Quase quebrando o clima.
Mas isso não é só pra quem tem EM não.
Outra coisa, é o calor, não o calor do momento, estou falando da temperatura mesmo, se o ambiente estiver muito quente no sentindo literal, a gente, na maioria das vezes, não se sente bem, pode vir a sentir, formigamentos, tonturas, dormência e outras cositas mais. O ideal é estar numa temperatura amena.
Para aqueles que perderam a sensibilidade e acham que não terão mais prazer, apenas digo, que o prazer, está na cabeça de cada um. Sei que temos locais de nosso corpo onde sentimos mais prazer porém, não são os únicos. O importante é você descobrir que relação sexual, é uma troca de prazeres e não necessariamente umas iguais às outras.
No entanto, mesmo com os problemas causados pela EM ou outros, precisamos sempre procurar alternativas para que o sexo volte a fazer parte de nossas vidas, tão bom quanto ou até melhor que antes do diagnóstico. Para isso acredito que devemos nos conhecer, ter intimidade com o nosso companheiro(a), procurar ajuda de um profissional para a parte física (médicos, fisioterapeutas etc.) e para o emocional (psiquiatra, psicólogo etc.).
Nunca desistir de ter sempre uma boa qualidade de vida e o sexo faz parte desse bem estar.
Não podemos nunca desistir de ser feliz e o sexo nos dá essa sensação, liberando endorfina um neurotransmissor que nos relaxa do estresse e melhora nosso humor.
Que o sexo faz bem para o corpo e a alma nós já sabemos.
como nosso organismo se comporta nessa hora e mais benefícios do sexo.
 
Se vocês tiverem algum conhecimento ou experiência sobre o assunto, deixem um comentário aqui pra gente.
 
E depois desse assunto, tão animado, vou me entregar aos braços de Morfeu e ter lindos sonhos….
 
Mil beijinhos e até o próximo post….