Pedi o divórcio!

Calma gente, não foi do marido, foi do verão! 

Eu e o verão temos uma relação de amor e ódio, um tanto complexa. 

Eu amo o verão (ou amava), adoro andar com pouca roupa, dias de sol bem iluminados, céu azul. Adoro praia, piscina, banho de mangueira, até banho e poça d'água. Tem água, tô feliz.  

Mas o calor não corresponde esse meu amor. Me maltrata com requintes de crueldade. 

Tres fatos sobre a minha pessoa explicam esse relacionamento conturbado:  

  • Sou obesa e em geral as pessoas mais gordas sentem muito mais o calor que as magrinhas.  

  • Estou atravessando o período do climatério, fase da vida em que ocorre a transição do período reprodutivo ou fértil para o não reprodutivo, devido à diminuição dos hormônios sexuais produzidos pelos ovários, culminando na menopausa que é a última menstruação da mulher. Essa fase pode durar em torno de dez anos e eu estou ainda nos primeiros.  

  • Tenho esclerose múltipla (rá! novidade!), o que me faz necessitar ainda mais energia para a realização de tarefas simples. 

Além disso, qualquer movimento que eu faça que aumente minimamente meu pulso, já aquece meu corpo. Até o fato de acordar me causa um calor intenso. Quando estou deitada, imóvel, com a respiração e o pulso tranquilos, meu corpo resfria. Se eu estiver dormindo, mais ainda. Quando eu acordo, ou simplesmente mudo de posição, minha respiração e pulso se alteram, e por menor que seja essa alteração, o calor é inevitável. E com os "fogachos" produzidos pela menopausa a qualquer hora sem motivo algum, a situação só piora. 

Tomar um banho, que deveria ser algo refrescante, não resolve. O simples fato de passar uma água fria sobre o corpo e mal-e-mal um sabonetinho, é esforço semelhante a umas duas horas de academia, se me enxugar então, tomo um suador tão grande que preciso voltar pro chuveiro. 

Não tenho e nem tenho condições de ter um ar condicionado na minha casa que é pequena e não tem uma ventilação lá muito boa. A única ajuda é o ventilador que tem estado ligado 24 horas por dia e não faz lá muita diferença. Na falta da praia ou piscina, com a água para o banho de mangueira sendo um recurso limitado para o qual se faz campanhas ferrenhas para sua economia, só me restam as poças d'água, mas nem tem chovido, então o verão tá ganhando de 10 x 0. 

Por isso tudo, apesar do eu amor incondicional pelo verão, por pura incompatibilidade de gênios, estou pedindo o divórcio. Preciso por um fim nesse relacionamento abusivo. 

Sem brincadeira, eu sofro. Fico imprestável, tenho um mal estar imenso e não consigo fazer praticamente nada.  

Sei que existem vários recursos para diminuir esse desconforto todo, mas ou eu não tenho acesso, ou não estou sabendo usar. 

Por isso hoje, em vez de trazer minhas experiências de vida para contribuir com vocês, vim pedir ajuda: que dicas e conselhos vocês podem me dar para amenizar meu sofrimento com o calor? Vocês também sofrem assim? As mulheres que estejam enfrentando esse trio obesidade/climatério/EM (ou mesmo só uma dupla), como fazem para sentirem-se melhor? Tô aceitando todo tipo de sugestão!