Será que Existe um Alimento Vilão na Esclerose Múltipla?

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Quando pensamos em um padrão alimentar inflamatório precisamos entender que muitos alimentos podem desencadear processos inflamatórios, e mais ainda é que dependendo do seu organismo a inflamação pode ser ainda mais acentuada do que em outro paciente com EM. Isso significa que mesmo você comendo uma pequena quantidade de um determinado alimento você pode estar sendo prejudicado por isso. 

Uma das dúvidas que mais respondo no consultório é: A nutri, mas quanto eu posso comer de X alimento sem isso ser um problema. E a resposta mais real para essa pergunta é: EU NÃO SEI!

Quando um estudo avalia o risco ou benefício de um alimento ele não testa nos pacientes o consumo de 1 a 3 vezes na semana ou então 100ml de uma determinada bebida, o artigo avalia a exclusão total desse alimento, isso significa que os participantes não consumiram NENHUMA vez aquele alimento no período estudado e aí sim o autor traz o resultado. O que quero dizer é que se você comer poucas vezes alguns alimentos isso já vai te tirar do protocolo utilizado.

Mas Bia, eu nunca mais vou poder comer determinado alimento? O grande problema não está em comer e sim, quanto desse alimento e quantas vezes ele aparece. Muitas pessoas falam, ah mas eu só como de vez em quando e na verdade a pessoa come todo sábado e todo sábado é semanalmente e não de vez em quando. E quando paramos para avaliar a alimentação desse indivíduo temos um bolo simples na segunda a tarde, uns bombons na terça após o almoço, uma feijoadinha na quarta com o pessoal do trabalho, um rodízio no sábado, uma pizza no domingo a noite e no final percebemos que a alimentação é totalmente desregrada e potencialmente inflamatória.

Realmente um único alimento sozinho não vai inflamar o seu intestino, mas será que ele realmente aparece sozinho? Será que realmente foi só um pedacinho? Será que realmente você tem uma saúde intestinal adequada? 

A dica que tenho para te dar é: Descasque mais e desembale menos! A chance de dar errado é muito menor! Tenha bons hábitos e se você não estiver conseguindo sozinho procure um profissional capacitado para lhe ajudar!

Explore mais

Conexão
blog

Conexão que transforma

O momento que recebi o diagnóstico de Esclerose Múltipla foi um divisor de águas na minha vida. Esse foi um ponto de virada de chave.