A prática de Yoga para redução dos sintomas da Esclerose Múltipla

Mulher sentada no chão,alongando-se

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter

O Yoga e a EM

A Esclerose Múltipla se caracteriza como uma doença neurológica crônica e autoimune, onde as células de defesa do organismo atacam o próprio Sistema Nervoso Central – SNC, provocando lesões cerebrais e medulares.

Sem cura e com sua causa desconhecida, a EM apresenta diversos sintomas e atinge jovens com idade entre 20 e 40 anos, com maior incidência em mulheres. Mais comuns entre os sintomas estão:  fadiga intensa, fraqueza muscular, dores articulares, alteração do equilíbrio e da coordenação motora, disfunção intestinal e da bexiga e depressão.

É uma doença neurológica não contagiosa, não suscetível à prevenção, não é mental, não tem cura e seu tratamento consiste em desacelerar a progressão da doença. Um dos exames realizados para o diagnóstico é a Ressonância Nuclear Magnética.

O Yoga é uma prática que combina filosofia e autoconhecimento ao equilíbrio, fortalecimento, alongamento e aeróbica, incorporando também posturas, respiração e relaxamento. Esse exercício se destaca como um método promissor de controle de sintomas, aprimorando resultados como auto-dependência, saúde mental e qualidade de vida.

A prática do yoga a ser utilizada por cada paciente será determinada de acordo com a habilidade física de cada um, sendo alguns tipos mais apropriados do que outros, para pessoas que convivem com EM.

Com o propósito de trazer equilíbrio entre corpo e mente, o yoga tem um efeito positivo em pacientes com Esclerose Múltipla, pois mostra melhora da força física, equilíbrio e diminuição da fadiga, sendo um resultante direto da diminuição do estresse mental e corporal.

Estudo

Um estudo norte-americano mostra que a prática desta atividade física pode melhorar as habilidades motoras e diminuir a fadiga em oito semanas.

Quatorze pacientes com esclerose múltipla foram submetidos a um programa de prática de yoga, que durou oito semanas. No final do programa, verificou-se melhora das suas capacidades de coordenação e motoras; além de diminuição da dor e fadiga. Os autores do estudo, da Universidade Rutgers, argumentam que estes resultados demonstram que o yoga pode ser um tratamento muito útil para esta doença.

Um pequeno estudo realizado por cientistas da Universidade de Rutgers, nos Estados Unidos produziu resultados interessantes para as pessoas com esclerose múltipla (EM), sugerem que os sintomas desta doença são reduzidas ao praticar yoga.

A esclerose múltipla é uma doença autoimune que afeta o sistema nervoso central e pode causar a perda de massa muscular, fadiga ou fraqueza muscular, entre outros sintomas. Yoga, por sua vez, é uma disciplina física e mental tradicional de origem hindu.

Esta pesquisa foi realizada porque, embora existam cada vez mais evidências dos benefícios do yoga para as pessoas com EM, ainda existem poucos dados empíricos para assegurar a sua eficácia e segurança, explica Susan Gould Fogerite, uma das autoras da pesquisa, em declaração da Universidade Rutgers.

No estudo 14 pacientes com esclerose múltipla foram submetidos a um treino de yoga de oito semanas projetado especialmente para os pacientes da doença.

Todos praticaram yoga por 90 minutos, duas vezes por semana, seguindo com técnicas e exercícios para melhorar a postura, ajudar a aumentar a histamina (um neurotransmissor que desempenha um papel fundamental na prevenção e redução dos efeitos da doença) e ensiná-los a relaxar e se concentrar.

Resultados

No final das oito semanas, verificou-se que os participantes eram mais capazes de viajar distâncias curtas, andando por longos períodos de tempo; tinham maior equilíbrio e coordenação motora fina (mãos, pés e dedos) foram melhorados e melhora da capacidade de se levantar.

Sua qualidade de vida também melhorou em termos de saúde mental percebida, concentração, controle da bexiga; visão; e diminuição da dor e fadiga.

Os voluntários tinham entre 34 e 64 anos e tinha sido diagnosticados com a doença entre dois e 26 anos mais cedo.

De acordo com os autores da pesquisa, os resultados obtidos mostram que, embora o yoga não é amplamente prescrita para pacientes com EM, mas pode ser uma terapia complementar muito eficiente para a doença.

Uma grande limitação dos estudos feitos com o yoga é que as expectativas criadas pelos pacientes ao começarem a prática pode influenciar nos resultados.

 

 

Fontes:

http://m.tendencias21.net. Traduzido livremente. Imagem: Creative Commons.

MARQUES, Agatha Rosembarque; NAKAMICHI, Thamy da Cunha. “Yoga como terapia adjuvante no manejos dos sintomas da Esclerose Múltipla”. 2015. http://cienciasecognicao.org/neuroemdebate/arquivos/2889

Explore mais

homem branco de camisa de botão azul escura, barba branca, inclinado para frente com as mãos nos joelhos
Qualidade de Vida

Respiração ofegante: quando a EM ataca seus pulmões

A esclerose múltipla pode afetar negativamente a função pulmonar, levando a sérios problemas respiratórios. Veja o que fazer: Entre as muitas possíveis complicações da esclerose