AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

LIGUE (11) 3181-8266

Seis maneiras de proteger seu bebê da EM

Seis maneiras de proteger seu bebê da EM

Adotar algumas dicas simples durante a gravidez, tais como receber a dose necessária de vitamina D, manter um peso saudável, e tomar os cuidados pré-natais, podem ajudar a proteger os bebês de desenvolverem esclerose múltipla mais tarde na vida.

Sem saber exatamente como as raízes da esclerose múltipla afetam um bebê ou criança, os pesquisadores estão trabalhando para encontrar fatores de risco e causas ambientais que podem desencadear a esclerose múltipla (EM). Alguns desses fatores de risco, tais como deficiência de vitamina D durante a gravidez e na infância, mais tarde poderão combinar com gatilhos que podem causar a doença.

Maneiras de reduzir o risco de EM

-Planejar com antecedência. Bebês nascidos após a temporada de inverno estão tem um risco maior de desenvolverem a EM. Você pode tentar cronometrar a gravidez, para que a concepção ocorra no outono ou no inverno.

-Cuidado com a cintura. Pesquisas mostraram que as mulheres que estavam em sobrepeso ou obesas antes ou durante da gravidez eram mais propensas a ter filhos que desenvolveram EM mais tarde na vida.

Gravidez de Risco: O que diz a pesquisa

Com a EM, o risco do bebê pode começar durante a gravidez. Porque a esclerose múltipla é uma doença autoimune, grande parte dos fatores de risco identificados pelas pesquisas estão ligados ao sistema imunológico em desenvolvimento do bebê. Por exemplo, em estudo publicado descobriram que as mulheres que estão em sobrepeso ou obesas, antes e/ou durante a gravidez tem maiores riscos de ter filhos com EM – o excesso de peso provoca inflamação geral na mãe, o que também pode afetar o corpo em desenvolvimento do bebê e o sistema imunológico. Este efeito cascata pode tornar o bebê mais vulnerável a disfunções autoimunes, como a EM.

Ter uma infecção viral durante a infância parece ser uma possível causa para o desenvolvimento de esclerose múltipla. Pesquisadores publicaram arquivos médicos onde descobriram que as pessoas com EM tinham sinais de infecção iníciais da rubéola, herpes simplex, vírus de Epstein-Barr ou citomegalovírus.

"Acreditamos que duas coisas que podem acontecer na infância podem ser fatores que estabelecerão se mais tarde na vida desenvolverá, ou não, a EM", explica o endocrinologista Michael Holick, MD, professor de medicina na Escola de Medicina da Universidade de Boston. "A primeira é ter uma doença infecciosa, e a segunda é responder a ela uma forma anormal."

Essa resposta anormal poderia acontecer em parte porque, durante a infância, o sistema imunológico está um pouco fora da pista. A pesquisa do Dr. Holick tem incidido sobre o papel que a vitamina D pode estar influenciando o sistema imunológico e o desenvolvimento da saúde óssea, um assunto de muito estudo.

"A vitamina D ajuda a combater infecções. Ela ajuda as células do sistema imunológico a dobrarem-se e destruirem agentes infecciosos como tuberculose e vírus. A vitamina D diminui também a defesa das células, reduzindo o risco de desenvolver uma doença autoimune do sistema nervoso central em resposta a uma doença ou qualquer que seja o gatilho" explica.

Pesquisas que estudaram a relação da exposição à vitamina D e do risco de esclerose múltipla mostraram que os bebês nascidos durante alguns meses do ano, parecem ter um risco aumentado de esclerose múltipla, provavelmente porque suas mães não recebem a quantidade suficiente de vitamina D durante a gravidez nos meses de inverno, época do ano em todas as mulheres podem tornar-se deficientes em vitamina D.

"Os recém-nascidos no início e no meio da primavera estão em maior risco", diz Holick. Em contraste, as crianças nascidas no outono, após uma gravidez de verão, têm um risco menor de terem esclerose múltipla.

Holick diz que pesquisadores estão apenas começando a entender o profundo impacto da vitamina D sobre a resposta imune, genética e a saúde em geral.

 Proteger as crianças da EM

Embora a causa exata da esclerose múltipla não seja conhecida, existem maneiras de ajudar a reduzir o risco de EM em seus filhos, incluindo:

1. Obter a quantidade necessária de vitamina D. Um pouco de luz solar todos os dias pode ser a melhor proteção contra a EM. Obter o suficiente de vitamina D é importante durante a gravidez e durante toda a infância. Para uma maneira rápida e fácil de verificar o quanto de vitamina D você está recebendo ao sair na varanda ou caminhar no parque, baixe o rastreador portátil de vitamina D em seu smartphone, Dminder App. Converse com seu médico sobre a quantidade de vitamina D que você precisa e sobre a possibilidade de fazer um exame de sangue para descobrir se você possui alguma deficiência vitamínica. Holick diz  que as recomendações estão em torno de 1.500 a 2.000 unidades por dia, mas 3.000 unidades por dia pode ser necessária para algumas pessoas. Ele recomenda 1.000 unidades por dia para as crianças.

2. Não fume e ensinar a seus filhos a não fumar. Pesquisas atentaram para informações de biomarcadores e tabagismo em 576 adultos, confirmando que o tabagismo é um fator de risco para o desenvolvimento posterior da esclerose múltipla.

3. Obter assistência pré-natal precoce. Pesquisas consideraram informações pré-natais, bem como informações de saúde mais tarde para crianças a partir de 35.815 pares mãe-filha e descobriram que mulheres cuja mãe procurou atendimento pré-natal só após o primeiro trimestre tiveram cerca de 1,6 vezes mais chances de desenvolver esclerose múltipla do que as demais.

4 . Controle do diabetes. No mesmo estudo, os pesquisadores descobriram um risco ligeiramente aumentado de desenvolver esclerose múltipla em mulheres cuja mãe teve diabetes durante a gravidez. Enquanto você não pode deixar de lado os cuidados com a diabetes durante a gravidez, você deve controlá-lo tão firmemente quanto for possível.

5 . Controle de ganho de peso na gravidez. As mulheres que estavam acima do peso ou obesas, antes ou durante a gravidez, foram cerca de 1,7 vezes mais propensos a ver a ter filhos que desenvolveram EM mais tarde na vida. Alcançar um peso e controlar o ganho de peso é, sem dúvidas, a opção mais saudável durante a gravidez.

6. Planeje sua gravidez. Considerando que os nascimentos logo após a temporada de inverno colocam os bebês em maior risco de desenvolver esclerose múltipla mais tarde na vida, você pode considerar cronometrar a gravidez, para que a concepção ocorra no outono ou inverno e se prolongue nos meses de primavera e verão quando você vai ter mais vitamina D da luz solar.

 

Everyday Health. Traduzido livremente. Imagens: Creative Commons.

ame

A AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose nasceu do sonho de divulgar a EM e contribuir com a busca de diagnóstico precoce, tratamento adequado e melhora na qualidade de vida dos pacientes, seus amigos e familiares. Somos uma Organização sem Fins Lucrativos que, desde 2012 reúne amigos múltiplos com uma missão de compartilhar informação de qualidade sobre a EM de forma gratuita e acessível.

VER TODOS POSTS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *