Problemas respiratórios na EM | AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

ENTRE EM CONTATO [email protected]
LIGUE (11) 3181-8266

Problemas respiratórios na EM

Problemas respiratórios na EM

Problemas respiratórios podem ser comuns na EM, principalmente em pessoas com EM avançada. Se você tiver uma incapacidade significativa, estiver restrito a posturas sentadas ou deitadas, ou tiver outras necessidades médicas complexas, talvez descubra que gerenciar sua respiração pode se tornar uma parte importante de seus cuidados, tanto em casa quanto com a ajuda de sua equipe médica. Você pode encontrar problemas respiratórios chamados de disfunção respiratória ou complicações respiratórias.

Os problemas respiratórios não são encontrados exclusivamente na EM avançada ou progressiva e podem começar no início da EM ou surgir como resultado de uma infecção. Se você tiver algum súbito surgimento de dificuldades respiratórias ou falta de ar, consulte um médico com urgência ou visite a enfermaria de acidentes e emergências do hospital mais próximo.

 

O que causa problemas respiratórios na EM? 

A EM é diferente entre as pessoas diagnosticadas e os problemas respiratórios podem ter uma variedade de causas. A causa mais comum de problemas respiratórios na EM é a perda de força muscular no peito e no abdômen. A fraqueza muscular pode ser um sintoma comum da esclerose múltipla, e os músculos que você usa para respirar são tão propensos à fraqueza quanto os braços ou pernas. Se os músculos do peito estiverem fracos, inspirar e expirar exige mais esforço e é mais cansativo.

Essa fraqueza muscular pode surgir diretamente dos danos da EM aos nervos que controlam os músculos usados ​​para inspirar e expirar, mas a fraqueza também pode ser causada ou agravada pela mobilidade reduzida. Se você tiver problemas para permanecer na posição vertical ou com poucas oportunidades de mover os membros superiores, os músculos do tronco não serão exercitados de maneira eficaz e perderão força.

Ocasionalmente, a EM pode danificar a parte do cérebro responsável pelo controle da respiração. As pessoas que convivem com esclerose múltipla podem achar que os nervos que controlam a boca e a garganta são afetados ou que eles têm problemas sensoriais ao redor da boca que afetam sua respiração. Além disso, alguns dos medicamentos prescritos para os sintomas da EM podem afetar a respiração, particularmente tranquilizantes ou relaxantes musculares.

Qualquer um desses fatores pode resultar em respirações superficiais e frequentes, redução da capacidade pulmonar e sensação de que não é possível respirar profundamente de maneira satisfatória. As pessoas com problemas respiratórios na EM também podem perceber que a força da tosse é reduzida, a voz mais fraca ou mais baixa e podem achar mais difícil falar por longos períodos.

 

Por que os problemas respiratórios são importantes na EM?

Se você tiver problemas respiratórios, poderá descobrir que outros aspectos de sua saúde e bem estar podem ser afetados. Os efeitos indiretos dos problemas respiratórios podem incluir:

– sono ruim, levando a sonolência excessiva durante o dia;

– níveis mais baixos de oxigênio no sangue e no cérebro, levando a pensamentos e memória ruins;

– força reduzida da tosse, levando ao aumento do risco de infecções no peito se partículas e secreções de alimentos não puderem ser removidas;

– respirar pode exigir mais esforço, levando ao aumento da fadiga;

– voz mais fraca,  podendo levar ao isolamento social. 

O tratamento de problemas respiratórios pode, portanto, melhorar uma série de outros problemas que, de outra forma, poderiam ser piores como sintomas da EM, como fadiga , depressão, aumento do risco de infecção ou problemas cognitivos .

 

Como os problemas respiratórios podem ser tratados? 

Se você tiver problemas respiratórios, pode pedir uma consulta ao Serviço Respiratório ou à Equipe de Assistência Respiratória, onde os enfermeiros e terapeutas especializados poderão avaliar suas necessidades. Eles podem solicitar exames de sangue ou oxímetro para verificar se os níveis de oxigênio no sangue estão baixos. Um teste de oxímetro não é invasivo e usa um clipe macio na ponta do dedo ou lóbulo da orelha, com uma luz que brilha na pele.

A equipe respiratória levará em conta o seu nível de mobilidade e quaisquer outras comorbidades que você tiver e sugerirá algumas opções para tratamento ou autogestão. Esta lista não é completa, mas algumas opções comuns podem incluir: 

– medicamentos administrados através de um inalador ou nebulizador que você pode usar em casa;

– oxigenoterapia em casa ou em um ambiente clínico;

– um curso de reabilitação pulmonar, para aumentar a força e a eficiência dos músculos do peito, evitar o descondicionamento e incentivar exercícios seguros para os pulmões;

– uma máquina para auxiliar a tosse, que pode ajudar a limpar as secreções pulmonares e aumentar sua capacidade pulmonar;

– um dispositivo CPAP (pressão positiva contínua nas vias aéreas) que pode ajudar a respirar à noite e melhorar a qualidade do sono, fadiga e cognição.

 

Outros profissionais de saúde que podem estar envolvidos em ajudá-lo a gerenciar problemas respiratórios incluem terapeutas da fala e da linguagem , fisioterapeutas e especialistas em reabilitação .

 

Como posso lidar com problemas respiratórios?

Caso você não tenha problemas respiratórios graves que sejam necessários encaminhar à uma equipe respiratória ou que possam impedir o desenvolvimento de problemas respiratórios. Aqui estão duas maneiras pelas quais você pode gerenciar sua respiração na EM.

 

Exercite seus músculos respiratórios

O exercício regular dos braços e parte superior do corpo pode ajudar a fortalecer os músculos do peito. Eles podem ser tão propensos à fraqueza da EM quanto qualquer outro músculo do seu corpo, mas é fácil esquecê-los no seu regime de exercícios. Eles são os músculos que fortalecem sua respiração e, se estiverem fracos, você poderá achar mais difícil e cansativo inspirar e expirar.

 

Minimize o risco de contrair uma infecção no peito

As infecções no peito podem ser uma causa e resultado de problemas respiratórios, e uma infecção no peito pode ter um impacto sério na sua qualidade de vida. Pneumonia aspirativa pode ocorrer se as partículas de alimentos forem inaladas nos pulmões. Tome cuidado para mastigar sua comida com cuidado, tente não falar enquanto come e procure ajuda com sua posição enquanto come e bebe, se necessário.

Pratique o controle geral de infecções, como lavar as mãos regularmente e iniciar a vacinação contra influenza, quando oferecido. Esteja alerta para sinais precoces de doença ou tosse e informe o seu médico imediatamente. Você pode lembrá-los de que pode ter uma função pulmonar reduzida devido à EM.

 

Fonte: MS Trust

Traduzido e adaptado – Redação AME: https://www.mstrust.org.uk/a-z/breathing-problems

ame

A AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose nasceu do sonho de divulgar a EM e contribuir com a busca de diagnóstico precoce, tratamento adequado e melhora na qualidade de vida dos pacientes, seus amigos e familiares. Somos uma Organização sem Fins Lucrativos que, desde 2012 reúne amigos múltiplos com uma missão de compartilhar informação de qualidade sobre a EM de forma gratuita e acessível.

VER TODOS POSTS