AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

LIGUE (11) 3181-8266

Os olhos como possíveis janelas da EM

Os olhos como possíveis janelas da EM

Duas publicações científicas recentes adicionam mais evidências de que um simples exame ocular pode oferecer uma maneira rápida e fácil de monitorar a progressão da EM.

À medida que o provérbio velho avança, os olhos são a janela para a alma. Quem escreveu essas palavras provavelmente não tinha ideia de quão relevante essa afirmação seria para EM, pois os olhos podem revelar-se uma maneira fácil e não invasiva de monitorar a progressão da EM.

Medir a espessura da camada de células nervosas na parte de trás do olho (a retina) pode se tornar uma ótima ferramenta para rastrear EM. A camada de fibra nervosa da retina fica mais fina em pessoas com EM e, dada a relativa facilidade com que podemos observar a parte de trás do olho, isso pode se tornar um método relativamente barato e rápido para monitorar regularmente a progressão da EM.

Dois estudos foram publicados recentemente com aparência de diluição retiniana e EM. O primeiro estudo , produzido na Itália, examina mudanças potenciais na camada do nervo quando outras medidas não conseguem detectar a atividade da doença, também conhecida como atividade de Evidência de Doença (NEDA). A NEDA é muitas vezes definida como nenhuma recaída clínica, nenhuma piora das incapacidades e nenhuma nova lesão detectada em uma ressonância magnética. Neste estudo italiano, os pesquisadores analisaram 72 pacientes e realizaram uma série de testes, incluindo a ressonância magnética e outras medidas clínicas. Eles também mediram o nervo óptico em duas visitas separadas, separadas por dois anos.

Neste estudo, as pessoas com maior desbaste da camada de fibras nervosas na parte posterior da retina foram mais propensas a desenvolver novas lesões cerebrais, que foram detectadas em ressonâncias magnéticas. Além disso, o aumento do desbaste também foi indicativo de piora das incapacidades.

No geral, quando examinaram os dois olhos das pessoas com NEDA, detectou-se menos adelgaçamento do que aqueles que apresentavam sinais claros de atividade da doença. Isso sugere que esta poderia ser uma medida simples para detectar a atividade da doença.

A preocupação é que algumas pessoas com EM podem sofrer ataques de neurite óptica, em que o sistema imune ataca os nervos associados aos olhos. Relatórios anteriores sugerem que esses ataques podem aumentar o desbaste desses nervos. Isso poderia complicar esse teste potencial, levando ao diagnóstico de um maior nível de progressão da doença do que realmente ocorreu. No entanto, neste estudo, os cientistas descobriram que os ataques anteriores de neurite óptica não influenciaram a taxa de desbaste das fibras nervosas retinais quando avaliadas em dois anos. Isto foi ainda confirmado pelo segundo relatório , que analisou as alterações na camada de fibras nervosas da retina nos olhos ao longo de cinco anos. Eles compararam a taxa de desbaste em pessoas com EM que tiveram e não experimentaram neurite óptica.

Este estudo mostrou que em pessoas que experimentaram ataques de neurite óptica, suas fibras nervosas da retina foram mais finas que as fibras de pessoas que não o tinham. No entanto, enquanto a neurite óptica pode causar períodos temporários de desbaste acelerado, uma vez que o ataque para, a taxa global de desbaste não é afetada. Isso sugere que, ao longo do tempo, a taxa de mudança no olho pode ser um marcador para o que está indo mais fundo no cérebro.

Juntos, esses estudos sugerem que olhar para as fibras nervosas na parte de trás do olho poderia fornecer uma maneira relativamente barata e não invasiva de medir o nível de atividade de EM que ocorre geralmente no cérebro e em outras partes do corpo. Isso ajudaria a orientar as decisões terapêuticas e a ajudar a determinar se o tratamento correto está sendo usado.

Fonte: http://bit.ly/2GhYmnA, traduzido livremente.

 

ame

A AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose nasceu do sonho de divulgar a EM e contribuir com a busca de diagnóstico precoce, tratamento adequado e melhora na qualidade de vida dos pacientes, seus amigos e familiares. Somos uma Organização sem Fins Lucrativos que, desde 2012 reúne amigos múltiplos com uma missão de compartilhar informação de qualidade sobre a EM de forma gratuita e acessível.

VER TODOS POSTS