AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

LIGUE (11) 3181-8266

Foi criado um microchip para tratamento do câncer e da esclerose múltipla

Foi criado um microchip para tratamento do câncer e da esclerose múltipla

Ele pode substituir comprimidos e preparações injetáveis.
Uma empresa estaodunidense de biotecnologia ligada ao MIT desenvolveu este dispositivo sem fio, que está perto de estar no mercado, e é implantado no paciente, armazena e libera drogas por anos.
A ciência avança aos trancos e barrancos e agora visa substituir as injeções e comprimidos para combater doenças crônicas. Será por um microchip implantado no corpo, que pode ser usado para tratar o cancro e a esclerose múltipla.
Para que isso aconteça, Microchips Biotech, assinatura relacionado com o MIT (Massachusetts Institute of Technology), em parceria com a gigante farmacêutica Teva Pharmaceutical, produtor No. 1 de medicamentos genéricos para comercializar estes implantes, que, de acordo com o jornal espanhol La Vanguardia, são dispositivos sem fio para armazenar e liberar drogas no corpo por vários anos.

Michael Cima e Robert Langer são os inventores destes chips contendo centenas de reservas do tamanho de uma cabeça de alfinete, cada um coberto com uma membrana de metal, que armazena pequenas quantidades de produtos químicos ou terapêutico. Como funciona? Uma corrente eléctrica que remove a membrana e liberta uma dose única. O dispositivo tem uma vida útil de 16 anos e pode ser usado no tratamento de doenças tais como diabetes, cancro, esclerose múltipla e osteoporose.
ATeva Pharmaceutical já pagou US $ 35 milhões adiantados e continuará investindo até que começa a ser vendido. "Uma grande empresa farmacêutica entendida como esta tecnologia pode melhorar os seus esforços para ajudar os pacientes", disse Michael Cima, em La Vanguardia.

A Microchips Biotech considera que sua invenção seria melhorar ainda se pudesse ser mais acessível e de acordo com as prescrições, o custo é caro nos Estados Unidos e, segundo um relatório de 2012 publicado na revista Annals of Internal Medicine, estimou-se que os americanos que não cumprem os requisitos acumulam 289 milhões por ano em custos desnecessários para a saúde. O não cumprimento dos requisitos, de acordo com o relatório, fazem com que aconteçam cerca de 125.000 mortes por ano e até 10 por cento de todas as internações.

Além disso, a empresa continua a desenvolver, com o apoio da Fundação Bill e Melinda Gates Foundation, um sistema semelhante, que funciona como um contraceptivo. "Seria um dos primeiros órgãos artificiais, uma vez que funciona como uma glândula", disse.

http://www.clarin.com – 29/06/2015. Traduzido livremente. Imagem: Creative Commons.

ame

ame

A AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose nasceu do sonho de divulgar a EM e contribuir com a busca de diagnóstico precoce, tratamento adequado e melhora na qualidade de vida dos pacientes, seus amigos e familiares. Somos uma Organização sem Fins Lucrativos que, desde 2012 reúne amigos múltiplos com uma missão de compartilhar informação de qualidade sobre a EM de forma gratuita e acessível.

VER TODOS POSTS

Deixe uma resposta