AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

LIGUE (11) 3181-8266

EM pode começar mais tarde para aqueles que na adolescência passam o verão ao sol

EM pode começar mais tarde para aqueles que na adolescência passam o verão ao sol

Um estudo de pessoas com esclerose múltipla (EM) descobriu que aqueles que passaram tempo no sol todos os dias durante o verão quando eram adolescentes desenvolveram a doença mais tarde do que aqueles que relataram não passar o tempo no sol todos os dias. O estudo, que foi publicado no 7 de outubro de 2015, edição on-line de Neurology®, o jornal médico da Academia Americana de Neurologia, também descobriu que as pessoas que estavam acima do peso aos 20 anos desenvolveram a doença mais cedo do que aqueles que foram peso médio ou abaixo do peso.

"Os fatores que levam ao desenvolvimento de EM são complexos e ainda estamos trabalhando para compreender todos eles, mas vários estudos têm mostrado que a vitamina D e exposição ao sol podem ter um efeito protetor sobre o desenvolvimento da doença", disse o autor do estudo Julie Hejgaard Laursen, MD, PhD, do Hospital da Universidade de Copenhague, na Dinamarca. "Este estudo sugere que a exposição ao sol durante a adolescência pode afetar até mesmo a idade de início da doença."

Para o estudo, 1.161 pessoas com esclerose múltipla na Dinamarca preencheram questionários e deram amostras de sangue. Elas foram colocadas em dois grupos com base em seus hábitos de sol durante a sua adolescência: aqueles que passaram algum tempo no sol todos os dias e os que não passaram tempo no sol todos os dias. Eles também foram questionados sobre o uso de suplementos de vitamina D durante a sua adolescência e quanto eles comeram peixes e alimentos gordurosos, aos 20 anos.

As pessoas que passaram algum tempo no sol todos os dias tiveram um início médio de EM de 1,9 anos mais tarde do que aqueles que não passar o tempo no sol todos os dias. Um total de 88 por cento dos participantes eram do sol a cada dia grupo. Eles desenvolveram EM em uma idade média de 32,9, comparado a 31 para aqueles que não estavam no sol todos os dias.

Aqueles que estavam acima do peso aos 20 anos desenvolveram a doença em média 1,6 anos mais cedo do que aqueles que foram peso médio e 3,1 anos mais cedo do que aqueles que estavam abaixo do peso. Dezoito por cento dos participantes tinham excesso de peso; eles desenvolveram a doença em uma idade média de 31,2.

"Parece que ambos os raios UVB da luz solar e vitamina D podem estar associados a um atraso no início da EM", disse Laursen. "No entanto, é possível que outros fatores desempenhem um papel ao ar livre, e estes ainda têm de ser identificados."

Laursen disse que estudos anteriores mostraram uma relação entre o risco de EM e da obesidade na infância e na adolescência. As pessoas obesas são conhecidas por terem baixos níveis sanguíneos de vitamina D. "A relação entre peso e EM pode ser explicada por uma deficiência de vitamina D, mas não há evidência direta suficiente para estabelecer isso ainda", disse Laursen.

"Uma limitação do estudo é o risco do viés de memória, porque os participantes foram convidados para lembrar sobre a exposição ao sol, alimentação e hábitos de anos atrás", disse Laursen. "Em particular, alguém com uma longa história de EM e início da doença em uma idade adiantada, podem erroneamente lembrar de uma exposição solar pobre. Além disso, apenas os pacientes dinamarqueses foram incluídos no estudo, por isso deve haver cautela ao estender os resultados para diferentes grupos étnicos que vivem em diferentes localizações geográficas".

American Academy of Neurology – 07/10/2015. Traduzido livremente. Imagem: Creative Commons.

ame

A AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose nasceu do sonho de divulgar a EM e contribuir com a busca de diagnóstico precoce, tratamento adequado e melhora na qualidade de vida dos pacientes, seus amigos e familiares. Somos uma Organização sem Fins Lucrativos que, desde 2012 reúne amigos múltiplos com uma missão de compartilhar informação de qualidade sobre a EM de forma gratuita e acessível.

VER TODOS POSTS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *