AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

LIGUE (11) 3181-8266

Dificuldade de regular o calor pode fazer pacientes de EM pararem de se exercitar

Dificuldade de regular o calor pode fazer pacientes de EM pararem de se exercitar

O exercício pode ser benéfico para pacientes com esclerose múltipla, uma doença degenerativa dos nervos que prejudica progressivamente a função do sistema nervoso central. No entanto, para alguns pacientes, um aumento na temperatura do corpo, que ocorre durante o exercício e/ou exposição a condições de calor e humidade, podem tornar temporariamente os sintomas piores. Pesquisadores da Universidade de Southern Methodist em colaboração com colegas da Universidade de Sydney começaram a explorar como o exercício moderado afeta pacientes com EM em comparação com controles saudáveis​​. Mu Huang, apresentará as conclusões da equipe de pesquisa em uma sessão de pôster na terça-feira, 29 de abril, na reunião de Biologia Experimental.

Biologia Experimental é uma reunião anual composta de mais de 14.000 cientistas e expositores de seis sociedades patrocinadoras e várias sociedades de hóspedes. Com a missão de compartilhar os mais novos conceitos científicos e resultados de pesquisas que moldam avanços clínicos atuais e futuros, o encontro oferece uma oportunidade única para a troca entre cientistas de todo os Estados Unidos e do mundo, que representam dezenas de áreas científicas, de laboratório e pesquisa clínica.

Huang pediu para cinco pacientes com EM e cinco indivíduos controle se exercitarem em uma sala com temperatura controlada por 30-60 minutos. Eles descobriram que a transpiração levou mais tempo para iniciar e taxa de sudorese foi menor durante o aumento da temperatura do corpo induzida pelo exercício em pacientes com esclerose múltipla em comparação aos indivíduos saudáveis. Esta regulação da temperatura alterada também levou a um maior aumento da temperatura central entre os pacientes de EM versus os controles. Desta forma, o superaquecimento poderia causar um agravamento temporário dos sintomas, o que pode afetar a capacidade de exercer ou desencorajar pacientes com EM de de se exercitarem.

"Embora preliminares, estes resultados sugerem que um aumento maior da temperatura corporal observada em pacientes com esclerose múltipla é devido a uma taxa de sudorese inferior e um atraso no início da sudorese limitando assim a capacidade do corpo de se refrescar. Uma maior compreensão de como a EM afeta a capacidade do corpo para dissipar o calor durante o exercício irá fornecer informações sobre formas de reduzir o impacto da intolerância ao calor e melhorar a segurança e benefício do exercício para pacientes com esclerose múltipla", afirmaram os pesquisadores.

 

Federation of American Societies for Experimental Biology (FASEB). Imagem: Creative Commons.

ame

ame

A AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose nasceu do sonho de divulgar a EM e contribuir com a busca de diagnóstico precoce, tratamento adequado e melhora na qualidade de vida dos pacientes, seus amigos e familiares. Somos uma Organização sem Fins Lucrativos que, desde 2012 reúne amigos múltiplos com uma missão de compartilhar informação de qualidade sobre a EM de forma gratuita e acessível.

VER TODOS POSTS

Deixe uma resposta