AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

LIGUE (11) 3181-8266

Dieta de baixa caloria pode ajudar no combate à fadiga causada pela EM

Dieta de baixa caloria pode ajudar no combate à fadiga causada pela EM

Pessoas com EM que seguiram durante um ano uma dieta baseada em níveis muito baixos de gordura saturada teve relação com a fadiga relacionada a EM e apresentou diminuição do sintoma no final do mesmo ano – menos relatos de fadiga do que em um grupo de pessoas com esclerose múltipla que não seguiram a dieta, de acordo com estudo da Oregon Health & Science University que foi apresentado em reunião anual da Academia Americana da Neurologia na Filadélfia, Pensilvânia.

O estudo foi o primeiro estudo randomizado controlado para examinar os benefícios potenciais da dieta de baixa gordura sobre a gestão da EM. O estudo não encontrou diferenças significativas entre os dois grupos quanto as lesões cerebrais detectadas na ressonância magnética do cérebro ou em outras medidas da EM. Mas, levando em conta que o número de participantes do estudo foi relativamente pequeno, os líderes do estudo acreditam que os sintomas de fadiga melhoraram significativamente,  merecendo mais e maiores estudos sobre a importância da dieta. “A fadiga pode ser um problema debilitante para muitas pessoas que vivem com EM reincidente-remitente “, disse Vijayshree Yadav, MD, professor associado de neurologia na Escola de Medicina de OHSU e diretor médico clínico da OHSU esclerose múltipla Center. “Então, os resultados deste estudo – que mostraram alguma melhora notável da fadiga para as pessoas que seguiram esta dieta – são uma pitada de esperança de algo que poderia ajudar muitas pessoas com esclerose múltipla. “O estudo investigou os efeitos de seguir uma dieta chamada Dieta McDougall, concebido por John McDougall, MD. A dieta é, em parte, pensada com base numa dieta dedicada ao combate à EM desenvolvida na década de 1940 e 1950 pelo falecido Roy Swank, MD, ex- chefe da divisão de neurologia na OHSU. A dieta McDougall, muito baixa em gordura saturada, concentra-se em comer amidos, frutas e legumes e não inclui carne, peixe ou produtos lácteos. O estudo, que começou em 2008, olhou para o efeito da dieta na forma mais comum da EM, denominada EM reincidente-remitente (EMRR). Cerca de 85 por cento das pessoas com EM têm EMRR, caracterizada por ataques claramente definidos de piora da função neurológica seguidos de períodos de recuperação nos quais os sintomas melhoram parcialmente ou completamente. O estudo mediu indicadores de EM entre um grupo de pessoas que seguiram a dieta de McDougall por 12 meses e um grupo controle que não o fez. O estudo mediu uma série de indicadores e os sintomas da EM, incluindo lesões cerebrais na ressonância magnética do cérebro dos participantes do estudo, taxa de recaída, deficiências causadas pelos níveis de doenças, peso corporal e colesterol. Ele não encontrou nenhuma diferença entre o grupo de dieta e o grupo controle no número de lesões cerebrais causadas pela EM e detectados nos exames de ressonância magnética. Também não encontraram nenhuma diferença entre os dois grupos na taxa de recaída ou nível de deficiência causada pela doença. As pessoas que seguiram a dieta perderam muito mais peso do que o grupo controle e tinham níveis de colesterol significativamente mais baixos. As pessoas que seguiram a dieta também tiveram pontuações mais altas em um questionário que mede a qualidade de vida e o bom humor em geral. O tamanho da amostra do estudo foi relativamente pequeno. Cinquenta e três pessoas completaram o estudo, sendo 27 no grupo controle e 22 pessoas no grupo que cumpriu as restrições da dieta. “Este estudo mostrou que a dieta de baixa gordura pode oferecer alguma ajuda promissora contra o cansaço que muitas vezes a Em causa”, disse Dennis Bourdette, MD, FAAN, presidente do Departamento de OHSU de Neurologia, diretor da MS Centro de OHSU e co-autor do estudo. “Mas é preciso mais aprofundamento, espero um estudo maior, onde possamos olhar mais de perto como a dieta pode ajudar a fadiga e possivelmente afetar outros sintomas da EM.”

 

Science Codex – 02/05/14. Imagem: Samantha Lee.

ame

A AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose nasceu do sonho de divulgar a EM e contribuir com a busca de diagnóstico precoce, tratamento adequado e melhora na qualidade de vida dos pacientes, seus amigos e familiares. Somos uma Organização sem Fins Lucrativos que, desde 2012 reúne amigos múltiplos com uma missão de compartilhar informação de qualidade sobre a EM de forma gratuita e acessível.

VER TODOS POSTS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.