Como tratar (e prevenir) um surto de EM

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter

Com a esclerose múltipla (EM), você terá dias bons e ruins. Você pode se sentir bem por semanas ou meses e, em seguida, seus sintomas de repente piorarem. Às vezes seus sintomas antigos aparecem novamente ou novos sintomas começam, quando acontecem os surtos. Não existe um padrão para surtos, eles podem ser diferentes, com maior ou menor intensidade.
Não temos como prever quando teremos um surto. Mas podemos ter hábitos para evitar novos surtos e saber a melhor forma de tratá-los para melhorarmos mais rapidamente.

O que é um surto?

Surtos acontecem quando há uma inflamação no sistema nervoso danificando a mielina, camada que cobre e protege as células nervosas. Este dano retarda ou para sinais de células nervosas de chegar às partes do seu corpo onde eles precisam ir.
As pessoas com EM recorrente-remitente têm surtos (ou crises, ou recaídas) e podem ter períodos sem sintomas, remissões. Para ser considerado um novos surto, o sintoma deve começar pelo menos 30 dias após o seu último surto e deve durar por pelo menos 24 horas.

O que acontece durante um surto?

Durante um surto você terá novos sintomas ou, sintomas que você já têm podem piorar. 

Os sintomas mais comuns em surtos são:

  • Problemas de equilíbrio
  • Visão turva ou cegueira em um olho
  • Tonturas
  • Dor
  • Sensação de agulhadas e/ou formigamento (alterações de sensibilidade)
  • Cansaço
  • Problemas na fala e/ou deglutição
  • Problemas cognitivos, de concentração e/ou memória
  • Fraqueza

Como prevenir surtos?
Certos hábitos ou acontecimentos podem favorecer uma recaída. Cada pessoa reage de forma diferente, mas pesquisadores já comprovaram que alguns hábitos podem ajudar na prevenção de novos surtos: 
Tome seus remédios. As drogas que o seu médico prescreveu retardam a evolução da doença e, por isso, previnem surtos. Se você tem efeitos colaterais de seu remédio, não basta parar de tomá-los. Pergunte ao seu médico sobre outras opções.
Mantenha sua saúde em dia. Um resfriado ou gripe pode desencadear sintomas de EM. Uma infecção urinária pode desencadear um surto, também. Por isso é importante cuidar da saúde como um todo. Infecções leves podem desencadear uma piora de sintomas. Por isso, mantenha hábitos de higiene como lavar bem as mãos e alimentos, beba bastante água e mantenha uma alimentação equilibrada.
Não fumar. Fumar faz mal para todo mundo. Se você tem EM e fuma, saiba que o fumo pode agravar os sintomas de EM, causar surtos e desencadear num processo de progressão da doença mais rapidamente.
Relaxe. Em algumas pessoas, o estresse pode ser um fator de recaída. Sabemos que a vida é cheia de fatores estressantes, por isso, busque algo que ajude você a relaxar em meio ao caos. Pode ser um hobby, yoga, uma leitura agradável ou uma caminhada no parque. Busque ferramentas, no seu dia a dia, para relaxar corpo e mente.
Descansar e dormir bem. Você não vai se sentir bem quando estiver cansado. Os problemas do sono são comuns em pessoas com EM. Sintomas como dor e espasticidade podem mantê-lo acordado durante a noite. Alguns dos medicamentos que tratam a EM interrompem o sono também. Converse com seu médico para controlar os distúrbios do sono para que você possa dormir tranquilamente.

Como tratar um surto?
Os sintomas do surto podem desaparecer por conta própria. Mas, quando tratados adequadamente eles vão embora mais rápido e deixam menos sequelas. Seu médico deve ser a primeira pessoa a saber o que está acontecendo para escolher, junto com você, a melhor forma de manejar o surto. Os tratamentos com corticóides (pulsoterapias de 3 a 5 dias), tem como objetivo cessas a inflamação que está prejudicando o sistema nervoso, de forma rápida e eficiente. 
Algumas pessoas se sentem incomodadas com os efeitos colaterais dos corticóides, que podem incluir edema (inchaço), ganho de peso, alterações de humor e de sono. Converse com seu médico sobre a melhor forma de lidar com esses efeitos. A ingestão de água durante a pulsoterapia é importante para diminuir a retenção de líquidos, por exemplo. O controle na alimentação, tanto na quantidade de comida quanto no uso do sal também. As alterações do sono e de humor podem ser corrigidas com algum medicamento de uso temporário. 

Em surtos mais intensos/graves, podem ser necessárias mais que 5 dias de pulsoterapia. Isso, quem irá avaliar, será seu médico, junto com você e se relato de como estão os sintomas, além dos exames de imagens, que podem ajudar a identificar como a EM está evoluindo. 

Durante um surto você pode se sentir mais cansado do que o habitual. Tente descansar o suficiente. Dê ao seu corpo o tempo necessário para que o tratamento também faça efeito.

O que fazer depois de um surto?

Você pode se recuperar completamente após um surto, mas pode levar semanas ou meses para superar todos os seus sintomas. Se você teve muitos danos, alguns sintomas podem não desaparecer completamente. Você pode precisar de uma ajuda extra para voltar à sua vida normal. Um programa de reabilitação pode colocá-lo de volta aos trilhos. Sua equipe de reabilitação (que pode ser composta por fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, urologista, psicólogo) irá ajudá-lo com:

  • Exercícios motores
  • Exercícios para fala e deglutição
  • Cuidados pessoais e de higiente (atividades da vida diária)
  • Tarefas domésticas
  • Problemas cognitivos e/ou de memória
  • Problemas urinários, fecais e/ou sexuais

Lembre-se sempre que, qualquer sintomas novo ou piora de sintoma que dure mais que 24 horas deve ser informado, o quanto antes, à equipe médica que o acompanha! A rapidez no tratamento é essencial para um plena e rápida recuperação!

Texto traduzido e adaptado por Redação AME – Amigos Múltiplos pela Esclerose

Leia o texto original em WebMD

WebMD

Explore mais

Sintomas

Fadiga: 9 dicas para você se sentir melhor

De acordo com a National Multiple Sclerosis Society (NMSS), cerca de 80 por cento das pessoas diagnosticadas com Esclerose Múltipla sentirão fadiga em algum momento