SEGUINDO O SEU CAMINHO

Um dia me disseram, que nessa vida nada é por acaso e que tudo que acontece tem um porquê.
Eu era muito novinha quando escutei isso pela primeira vez e na hora pensei que era um monte de bobagem.
Vou contar para vocês uma parte da minha história.
Eu tinha 17 anos, estava numa crise existencial terrível, não queria saber de estudar, só pensava em trabalhar pra ter o meu dinheiro e minha liberdade, sofria de uma paixão platônica, quando meus pais resolveram se mudar de Brasília para uma pequena cidade do interior paulista, São Carlos, a cidade dos meus avós, onde passava todos os meus Natais e só.
Nunca havia passado pela cabeça daquela adolescente, que era eu, morar longe dos seus amigos, seus vizinhos desde a infância, e seus amores….kkk
Naquela época eu queria morrer de tristeza, matar meu pai por ele ter tomado essa decisão por mim, afinal era uma fedelha que não sabia nada da vida.
Depois, os anos foram passando, passando, vivi minha juventude em São Carlos, estudei, formei, namorei, trabalhei, sofri, me diverti até que enfim me casei. 
E aquilo que foi uma desgraça em minha vida em 1994, depois virou a melhor coisa dela. São Carlos onde conheci o amor da minha vida.
Então, minha profissão foi acertada no mesmo ano do meu diagnóstico. Passei no concurso do Estado e tomei posse do cargo em 2007. Me lembro que estava totalmente cegueta, tinha tido o surto no olho esquerdo ( neurite óptica) mas o direito não podia com a claridade, por isso vivia de óculos escuros e sem enxergar quase nada.
Precisei assinar a papelada sem quase ver o que estava assinando.
Eu já sabia que não iria poder dar aula tão cedo, ia me afastar para o tratamento com ciclofosfamida. Só não tinha noção que ia passar tão mal com essa pulsoterapia.
Aí eu pensava, meu Deus, por que fez isso comigo? Consegui me efetivar como professora, se nem vou conseguir dar aula agora? Por que vem tudo junto? Se eu tivesse sem aula, não tinha que me preocupar com nada.
Fiz o tratamento porque estava tendo muitos surtos, fiquei afastada por muito tempo, quando chegou o dia de voltar a dar aula, eu fui morar sozinha em Piracicaba durante a semana, e morria de medo de ter um surto ali com a moça que dividia o quarto comigo. Fui levando essa situação até que a distância, o trabalho e a dificuldade me causou uma pane na memória e não sabia mais o que estava ensinando.
Foi aí que pedi a readaptação. Mais quatro anos aguardando até que ela saiu.
Nisso tudo, eu compreendi que minha efetivação de cargo, veio na melhor hora possível. Senão eu estava afastada, sem trabalhar mas sem dinheiro. Agora eu tinha um salário fixo.
Enfim, guardo sempre comigo essas palavras, de que nada é por acaso e que tudo tem uma finalidade na vida.
O difícil é você entender ao certo o motivo de tanta restrição, problemas, perdas e doenças. Só que hoje no auge da minha juventude (rs) acredito que lá na frente, no futuro, que pode ser nas próximas semanas, meses a diante, nos anos seguintes, vamos perceber que as coisas se ajeitam, como se fossem peças de um quebra cabeça. Tudo se encaixa perfeitamente no seu lugar.
Como no meu caso, por exemplo, quem acompanha avidacomesclerosemultipla, sabe o quanto sofri com o meu cargo sendo em Piracicaba. Atribuições desgastantes, relacionamentos difíceis, um calor de 40 graus e muito mais. Até que foi por lá que me indicaram como chegar em São Carlos sem ser removida e hoje faço tudo por aqui, minha vida funcional ficou bem mais tranquila.
Tenho em minha mente, que a força do meu pensamento ajuda sempre em os fatos se combinarem, mas além disso, acho que há sim um ser superior, como costumo dizer, que escreve a minha história em linhas tortas, mas impecavelmente correta.
E vocês: acreditam na força do pensamento, em um ser superior, no destino, nos astros? Como vocês acham que nossa vida é feita?
Gostaria de saber o que vocês pensam. 
 
Bem meus queridos, desejo a todos uma ótima semana!!!
Mil beijinhos…