Você sabia que a alimentação pode ser um grande aliado no seu tratamento com a EM?

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter

É muito comum nós que temos EM pesquisarmos sobre tudo o que pode ajudar ou atrapalhar a evolução da nossa doença, não é mesmo? E você sabia que, assim como remédios, exercícios, terapias e muitas outras coisas, a alimentação pode te ajudar e muito quando o assunto é Esclerose Múltipla? 

Sim, existem muitos nutrientes que precisam estar presentes diariamente e em quantidades adequadas como vitaminas, minerais, fibras, alimentos anti-inflamatórios, macronutrientes e muito mais. Quando temos esses alimentos ao nosso lado, ter EM fica muito mais fácil e controlável. Contudo, assim como alimentos benéficos, temos também alguns alimentos que, além de não ajudar, ainda pioram bastante a progressão da EM

Hoje falaremos sobre alguns dos alimentos essenciais para quem tem EM, para isso selecionei os 5 grupos de alimentos que possuem maior comprovação científica sobre a influência positiva sobre a EM:

  1. Frutas, legumes e verduras: elas são responsáveis por nos fornecer a maioria de todos os nutrientes que precisamos para sobreviver; além disso, elas ainda possuem um alto teor de fibras e desempenham um papel fundamental na nossa nutrição como um todo, principalmente na nossa saúde intestinal.
  2. Ervas e especiarias: já se sabe sobre os benefícios desse tipo de alimentos e seu potencial anti-inflamatório há algum tempo, mas precisamos ter cuidado para não errarmos na quantidade, pois na maioria dos estudo que apresentaram os benefícios de ervas e especiarias, foram utilizadas doses altas para aparecerem os efeitos. Exemplos de ervas e especiarias que têm potencial anti-inflamatório: gengibre, cúrcuma, alho, pimenta caiena, orégano, entre outros.
  3. Probióticos: o eixo intestino-cérebro está fortemente envolvido com a atividade do sistema nervoso central, pois uma sobrecarga de bactérias intestinais produtoras de ácido D-lático e amônia neurotóxicas poderia explicar ainda mais as manifestações da fadiga.
  4. Polifenóis: eles apresentam um potencial anti-inflamatório atribuído à sua capacidade de neutralizar os radicais livres, aumentar a defesa antioxidante endógena, ou seja, um fator de desintoxicação orgânica do corpo. Além disso os polifenóis ainda possuem uma função importante na inibição do NF-kB, um importante fator de transcrição responsável pela ativação das vias de inflamação dentro do nosso corpo.
  5. Gorduras Insaturadas e Poli Insaturadas: as gorduras são importantíssimas em uma dieta anti-inflamatória. Entretanto, é necessário consumir gorduras boas e em quantidades adequadas, como é o caso de óleos de peixes, linhaça, chia, oleaginosas (castanhas, nozes, amendoim, amêndoas) azeite de oliva, entre outros.

Agora que você já conhece alguns dos alimentos indispensáveis na EM, o que acha de colocar em prática e colher os frutos de uma melhor qualidade de vida com Esclerose Múltipla?

 

por Beatriz Giannichi

Explore mais