AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

LIGUE (11) 3181-8266

QUAIS SÃO OS DIFERENTES TIPOS DE EM?

QUAIS SÃO OS DIFERENTES TIPOS DE EM?

De certa forma, cada pessoa com esclerose múltipla vive com uma doença diferente. Embora o dano do nervo seja sempre uma parte da doença, o padrão é único para todos.

Os médicos identificaram alguns dos principais tipos de EM. As categorias são importantes, porque ajudam a prever a gravidade da doença e o bom funcionamento do tratamento.

Esclerose Múltipla Remitente Recorrente (EMRR)

A maioria das pessoas com esclerose múltipla – cerca de 85% – tem esse tipo (também chamada de surto-remissão). Elas geralmente têm seus primeiros sinais da doença por volta dos 20 anos. Depois disso, elas têm ataques de sintomas (chamados recaídas ou surtos) de tempos em tempos, seguidos por semanas, meses ou anos de recuperação (chamadas remissões).

Os nervos afetados, os ataques graves, o grau de recuperação e o tempo entre recidivas variam muito de pessoa para pessoa.

Eventualmente, algumas pessoas com EMRR vai passar para o tipo progressivo secundário da doença.

Esclerose Múltipla Progressiva Primária (EMPP)

Na esclerose múltipla primária progressiva, a doença piora gradualmente ao longo do tempo. Não há ataques bem definidos de sintomas, e há pouca recuperação. Além disso, os tratamentos de EM existentes hoje também não funcionam com esse tipo de EM (Foi aprovado recentemente o medicamento Ocrevus, nos EUA, que apresentou resultados positivos para EMPP. Aguardamos aprovação do medicamento pela Anvisa para uso no Brasil). Cerca de 10% das pessoas com EM possuem esse tipo. Veja AQUIdicas para conviver com a EMPP.

Esclerose Múltipla Secundária Progressiva (EMSP)

Depois de viver com uma EMRR – durante muitos anos, algumas pessoas evoluirão para o tipo de EM chamada de secundária progressiva. Neste tipo, os sintomas começam a ter uma marcha estável sem recaídas ou remissões (como na EMPP). A mudança geralmente ocorre entre 10 e 20 anos após diagnóstico de EMRR.

Não está claro por que a doença faz a mudança. Mas os cientistas sabem algumas coisas sobre o processo:

Quanto mais velha uma pessoa é quando ela é diagnosticada pela primeira vez, menor é o tempo que ela tem antes que a doença se torne secundária progressiva.
As pessoas que não se recuperam completamente das recaídas geralmente se mudam para o EMSP mais cedo do que aqueles que o fazem.
O processo de alterações nos danos nos nervos em curso. Após a transformação, há menos inflamação e mais um declínio lento em como funcionam os nervos.
A EMSP é difícil de tratar, e a doença pode ser difícil controle no dia a dia. Os sintomas pioram a uma taxa diferente para cada pessoa. Os tratamentos funcionam moderadamente bem, mas a maioria das pessoas terá problemas para usar seu corpo como costumava fazer.

Esclerose Múltipla Recidivante Progressiva (EMRP)

A esclerose múltipla recidivante progressiva é a forma menos comum. As recaídas ou os ataques ocorrem de vez em quando. Mas os sintomas continuam e pioram entre as recaídas. Este tipo é raro o suficiente para que os médicos não saibam muito sobre isso. Provavelmente cerca de 5% das pessoas com esclerose múltipla possuem essa forma. De muitas maneiras, parece semelhante a EMPP.

Leia a matéria original em WebMD

 

ame

ame

A AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose nasceu do sonho de divulgar a EM e contribuir com a busca de diagnóstico precoce, tratamento adequado e melhora na qualidade de vida dos pacientes, seus amigos e familiares. Somos uma Organização sem Fins Lucrativos que, desde 2012 reúne amigos múltiplos com uma missão de compartilhar informação de qualidade sobre a EM de forma gratuita e acessível.

VER TODOS POSTS