Fadiga na Esclerose Múltipla: o que a ciência sabe

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter

Enquanto a maioria das pessoas associa a Esclerose Múltipla (EM) com fraqueza muscular, dormência e dor, a fadiga é, na verdade, o sintoma mais comum da doença.

 

Quase 80% das pessoas diagnosticadas com EM experimentam fadiga em algum momento, de acordo com a Associação de Esclerose Múltipla da América.

A fadiga é definida como cansaço extremo ou exaustão implacável. Quando associada à EM, pode ser difícil de lidar e também difícil de explicar a outras pessoas. Embora seja um sintoma invisível, a fadiga é muito real para quem vive com a doença.

O primeiro passo para tratar a fadiga é descobrir o que a está causando. Pode ser resultado de danos nos nervos causados ​​pela EM. Dificuldades com o sono, depressão e efeitos colaterais de medicamentos também podem ser parte do problema.

A boa notícia é que é possível controlar a fadiga com a combinação certa de medicamentos, mudanças no estilo de vida e dicas para poupar a energia do corpo.

O que causa a fadiga da EM?

Atualmente, os cientistas não entendem completamente a causa exata da fadiga relacionada à EM. Alguns pensam que a fadiga pode estar relacionada à ativação constante do sistema imunológico, como ter o vírus da gripe o tempo todo.

Outros teorizam que a fadiga está relacionada à necessidade de o cérebro trabalhar mais em pessoas com EM.

Exames de ressonância magnética mostraram que pessoas com fadiga de Esclerose Múltipla usam uma área maior do cérebro para realizar tarefas do que pessoas sem fadiga. Em resposta aos danos nos nervos, o cérebro de uma pessoa com EM pode encontrar novas rotas para enviar mensagens. É possível que esses novos caminhos consumam mais energia.

A sensação de fadiga também pode ser resultado da fraqueza muscular associada à EM.

Certas complicações da EM também podem induzir fadiga, que podem ser referidas como causa secundária. Podem causar sintomas de fadiga:

  • dor crônica
  • distúrbios emocionais, como ansiedade e depressão
  • anemia
  • aptidão física reduzida
  • estar acima do peso ou obeso
  • função da tireóide reduzida
  • problemas de sono, como insônia, apneia do sono ou síndrome das pernas inquietas
  • diabetes
  • infecções

A fadiga também pode ser um efeito colateral de certos medicamentos, como os usados ​​para tratar espasticidade, dor e disfunção da bexiga.

Qual é a sensação?

Nem todos experimentam a fadiga da mesma maneira, e o sentimento pode ser difícil de explicar aos outros. Em geral, existem dois tipos de fadiga da EM: uma sensação geral de cansaço extremo e fadiga muscular.

A fadiga da EM é diferente do cansaço normal. Algumas pessoas com Esclerose Múltipla descrevem a fadiga como se você estivesse sobrecarregado e como se cada movimento fosse difícil ou desajeitado. Outros podem descrevê-lo como um jet lag extremo ou uma ressaca que não vai embora.

Para outros, a fadiga é mais mental. O cérebro fica confuso e fica difícil pensar com clareza. A fadiga pode afetar a visão, bem como sua capacidade de falar sem enrolar suas palavras.

A fadiga MS também se distingue pelas seguintes características:

  • ocorre diariamente
  • muitas vezes ocorre de manhã, mesmo depois de uma boa noite de sono
  • tende a piorar à medida que o dia avança
  • é agravado pelo calor e umidade
  • pode vir de repente
  • interfere nas tarefas diárias, como o trabalho

O que posso fazer sobre a fadiga relacionada à EM?

Pessoas com fadiga na EM podem precisar recarregar suas baterias com descanso frequente e uma soneca diária curta, mas também é possível planejar e programar suas atividades diárias para ajudar a economizar energia.

Para economizar energia, tente estas dicas:

  • Divida grandes projetos em partes menores.
  • Reúna suprimentos antes de uma atividade, como cozinhar ou limpar, para que você não precise correr para encontrar suprimentos enquanto conclui a tarefa.
  • Planeje sua lista de compras com antecedência.
  • Peça para o supermercado entregar as suas compras.
  • Cozinhe todas as refeições da semana de uma só vez, se possível.
  • Organize sua casa para que os itens usados ​​com frequência sejam armazenados em locais de fácil acesso.
  • Use carrinhos de rodas para transportar itens mais pesados ​​pela casa.
  • Certifique-se de ter uma boa iluminação em sua casa para não se esforçar para ver as coisas com clareza.
  • Considere o uso de dispositivos adaptativos para se vestir, tomar banho e tarefas domésticas.
  • Mantenha sua casa fresca se sua fadiga tende a piorar quando está quente.
  • Ligue um desumidificador se sua fadiga tende a aumentar em clima úmido.
  • Use uma licença para deficientes e estacione perto do seu destino.
  • Embora a conservação de energia seja importante, muito descanso pode ser contraproducente. Exercitar-se diariamente é essencial para manter a força muscular e aumentar a resistência. Experimente estes exercícios para EM.

Existem várias outras mudanças no estilo de vida e remédios que podem ajudá-lo a combater a fadiga. Esses incluem:

  • ir à fisioterapia para aprender sobre maneiras de conservar sua energia e estabelecer uma rotina de exercícios
  • reunião com um terapeuta ocupacional para simplificar as tarefas no trabalho ou em casa
  • praticando uma boa higiene do sono
  • procurar aconselhamento psicológico se estiver deprimido ou ansioso
  • reduzindo o consumo de álcool
  • comer uma dieta saudável rica em frutas, legumes, grãos integrais, gorduras saudáveis ​​e proteínas magras
  • comer uma dieta vegana ou baseada em vegetais. Um estudo de 2016 descobriu que pessoas com esclerose múltipla que seguiram uma dieta baseada em vegetais com muito pouca gordura tiveram uma melhora significativa na fadiga após 12 meses.
  • reduzindo o estresse. Yoga, meditação e tai chi são excelentes maneiras de reduzir o estresse e praticar atividade física.

Escala de fadiga da Esclerose Múltipla

A fadiga é difícil de explicar ou quantificar. É por isso que pesquisadores desenvolveram a Escala de Impacto da Fadiga Modificada (MFIS), que é usada para avaliar como ela afeta a vida de alguém.

O MFIS leva apenas 5 ou 10 minutos para ser preenchido e inclui uma série de perguntas ou afirmações sobre sua saúde física, cognitiva e emocional.

Você será solicitado a avaliar quão fortemente cada afirmação reflete suas experiências no último mês em uma escala de 0 a 4, sendo 0 “nunca” e 4 “quase sempre”.

Exemplos de declarações que você será solicitado a avaliar incluem:

  • Meus músculos parecem fracos.
  • Eu tenho que me controlar nas minhas atividades físicas.
  • Tenho problemas de concentração.
  • Tenho me sentido menos motivado a participar de atividades sociais.

Você pode encontrar o artigo validado neste link.

A soma de todas as suas classificações é a sua pontuação MFIS. Uma pontuação mais alta significa que a fadiga está afetando significativamente sua vida cotidiana. A pontuação pode ajudar você e seu médico a elaborar um plano de gerenciamento que aborde seus sintomas específicos de fadiga.

Como tratar

Se você estiver com fadiga, marque uma consulta com seu médico para discutir possíveis opções de tratamento. Um médico provavelmente pedirá alguns exames para descobrir mais sobre o que pode estar causando sua fadiga.

Com base nos resultados desses testes, seu médico pode prescrever medicamentos ou recomendar aconselhamento, fisioterapia e terapia ocupacional.

Medicamentos

Os medicamentos prescritos dependerão do que está causando a fadiga da sua EM. Se você acha que um dos seus medicamentos atuais pode estar causando sua fadiga, pergunte ao seu médico sobre a possibilidade de alterar sua medicação ou ajustar a dosagem. Não pare de tomar sua medicação sem consultar seu médico primeiro.

Por fim

A fadiga é um sintoma muito comum da EM e pode ser um dos mais problemáticos para lidar. Se ela estiver afetando seu trabalho ou a sua rotina, converse com seu médico para descobrir se há algum medicamento que você precisa tomar ou se seus medicamentos atuais precisam ser ajustados.

Você pode superar a fadiga com a combinação certa de medicamentos e mudanças no estilo de vida.

 

Última revisão médica em 14 de março de 2019

Referências importantes utilizadas no artigo original da Healthline:

Tradução e adaptação: Redação AME – Amigos Múltiplos pela Esclerose

Fonte: Healthline

Explore mais