Dor crônica em pessoas com deficiência

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter

A dor crônica é um sintoma, muitas vezes, comum em quem convive com Esclerose Múltipla. Há pouco tempo compartilhamos aqui no site um artigo sobre dores crônicas na EM.

Na pessoa com deficiência a manutenção dessas dores pode precisar ser ainda mais específica e, por isso, compartilhamos um artigo dos parceiros do Blog Freedom, com dicas para ajudar a dor crônica em pessoas com deficiência:

1. Respeite suas limitações físicas

Por fazerem o corpo liberar endorfina (analgésicos naturais do nosso organismo), os exercícios físicos são uma boa alternativa para amenizar as dores crônicas. Mas é sempre importante levar em consideração as limitações físicas.

Apesar de existirem muitos casos de pessoas com deficiência que são atletas, ou levam um estilo de vida muito mais ativo que a média, é importante que você faça tudo no seu próprio ritmo.

pratica de esportes e o comprometimento com novas atividades deve ser feita a partir de um acompanhamento médico. E a complexidade dos exercícios deve ser aumentada de forma gradual, acompanhando a reação do corpo a cada mudança.

Isso é importante, principalmente, para quem se tornou uma pessoa com deficiência recentemente. É preciso conhecer e respeitar os seus novos limites e, aos poucos, se adaptar a eles.

2. Tenha uma alimentação adequada

Ter boa alimentação é a base para uma melhor qualidade de vida. Conhecer os alimentos e saber as reações que eles podem causa em seu organismo é essencial, afinal, alguns alimentos podem até mesmo agravar as dores.

É o caso do consumo de carne vermelha em excesso ou de outros alimentos com alto teor de sódio. Essa substância pode causar dores nas articulações, além de problemas como a retenção de líquidos.

O ideal é manter uma dieta de baixa gordura e rica em micronutrientes, como vitamina C, vitamina B6 e cálcio. Além disso, alimentos ricos em potássio, como a banana, ajudam a manter os músculos saudáveis.

3. Faça massagens

Muitas vezes, as massagens são parte da fisioterapia. Caso você ainda não tenha experimentado, invista em algumas sessões mensais ou semanais para aumentar o seu bem-estar.

A massagem não serve somente para aliviar dores e causar uma sensação de relaxamento. A drenagem linfática, por exemplo, é importante para a manutenção da saúde, pois melhora a circulação e evita o inchaço causado pela retenção de líquidos, que costuma causar desconforto físico.

Além disso, as massagens também servem para aumentar a sua autoestima, pois contribuem para a estética do corpo. Para pessoas que utilizam a cadeira de rodas, as costas devem receber atenção especial durante o procedimento, pois é lá que se acumula a maior tensão ao passar muito tempo sentado.

4. Tenha uma atitude positiva

O estado mental de uma pessoa sempre influencia na parte física. Por isso, é importante ter paciência, tranquilidade e uma postura positiva diante dos problemas que surgirem. Só assim você saberá como resolvê-los da melhor forma possível, avaliando a situação de uma forma racional.

Pode não parecer, mas a atitude positiva faz toda a diferença. Sentir dores no corpo é algo desagradável, mas tudo dependerá de como você encara a situação. Não torne obstáculos em empecilhos que possam atrapalhar toda a sua vida.

5. Use acessórios de ergonomia

Há muitos produtos que podem tornar o seu dia a dia mais confortável, seja na cadeira de rodas ou não. Veja agora quais são alguns deles:

Almofada ergonômica

almofada ergonômica é usada no assento da cadeira de rodas e auxilia na comodidade do usuário. Ela serve, principalmente, para a região dos glúteos, com o objetivo de minimizar a dor crônica.

Você também pode comprar uma almofada de pescoço, similar àquela que se usa para dormir em avião. Ela dará mais sustentação para a cabeça, além de diminuir as dores nas costas e nos ombros.

Cama motorizada

A cama motorizada é ideal para garantir posições mais confortáveis para quem tem a mobilidade comprometida. É possível incliná-la de várias maneiras, inclusive para deixar as pernas mais altas que o restante do corpo, uma posição que auxilia na circulação sanguínea.

Além de trazer mais ergonomia para pessoas com qualquer deficiência física, quem é cuidador de pessoas tetraplégicas ou com alto grau de comprometimento motor pode usar a cama para alimentar e vestir o paciente com muito mais facilidade.

Cinto de segurança

cinto de segurança para cadeira de rodas tem duas principais funções. Uma delas é manter o corpo sustentado em uma posição natural àqueles que têm os músculos muito enfraquecidos e não conseguem fazer isso sozinhos.

A segunda é para a hora do transporte, com o objetivo de garantir segurança e conforto extra. Terrenos com elevação e irregularidades causarão menos incômodo dessa forma. Há vários tipos de cintos de segurança, cada um com uma função específica.

6. Faça acompanhamento com um terapeuta

O terapeuta ocupacional é um dos profissionais mais importantes para garantir o seu bem-estar. Ele criará uma rotina de cuidados para fortalecer seus músculos e trabalhará em conjunto com médicos para avaliar o seu estado geral.

É possível consultar-se com um terapeuta ocupacional nos Centros de Reabilitação gratuitamente, caso você não tenha como pagar por consultas particulares.

Esse profissional acompanha o seu progresso físico e pode verificar se o uso de cadeira de rodas é mesmo adequado para você. Em alguns casos, é possível usar muletas, e recuperar os movimentos pouco a pouco.

O seu terapeuta também pode indicar tratamentos e produtos que melhorem sua qualidade de vida, como práticas esportivas, hidroterapia, o uso de almofada ergonômica, entre outros.

Lembre-se de que fazer tratamentos e adquirir itens que melhorem o seu conforto são fundamentais para garantir que você tenha qualidade de vida. Por isso, se você sofre com dor crônica e, mesmo que não possa pagar por todos os serviços e artigos, é importante conhecer seus direitos, previstos no Estatuto da Pessoa com Deficiência. Há muitas situações em que você pode receber desconto ou isenção de custos.

Você sofre com dor crônica e quer nos contar o que faz para amenizá-la? Deixe seu comentário aqui embaixo para trocarmos experiências!

Explore mais

Mulher de cabeça baixa olhando para o celular. Texto à esquerda "Será que é EM?"
Diagnóstico

Será que é EM?

Está em dúvida se os sintomas que está sentido possam ser Esclerose Múltipla (EM)? Você pode ter pesquisado sobre a EM na internet e lido

Imagem com fundo cinza, à esquerda, o mapa do brasil pontilhado em tons amarelos e azuis. No canto inferior, à esquerda, em letras azuis "Por dentro do CNS", uma faixa amarela larga por trás das siglas "CNS" se prolonga até o canto inferior direito, onde tem escrito, de azul "ABR."
Conselho Nacional de Saúde

Por dentro do CNS: Abril

Em abril tivemos diferentes atividades dentro do CNS – Conselho Nacional de Saúde, entre elas, representamos o conselho na Audiência Pública sobre VACINAÇÃO CONTRA COVID-19