Como viver com EM e outras doenças

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

A EM não é o único problema de saúde que uma pessoa pode sofrer. Na verdade, também podemos sofrer com várias doenças de uma mesma vez. Viver com mais de uma doença é, portanto, uma situação que muitas pessoas têm de enfrentar diariamente. Em seguida, o primeiro passo é buscar informações. As pessoas com esclerose múltipla, também estão em risco de terem outras doenças ou desordens. Superar esta situação só é possível com uma boa gestão da saúde e medicamentos. As dicas a seguir podem ajudar a aliviar a situação:

– Não acredite que tudo está relacionado com a EM: você pode pensar que as doenças que surgiram após o diagnóstico de esclerose múltipla estão ligadas a ela, ou que estão relacionadas com o medicamento que você usa para trata-la. Deve-se notar, entretanto, que nem sempre é assim. Na verdade, se você notar um novo sintoma, é importante consultar com o seu médico. Ao avaliar a situação, os profissionais afirmarão se os sintomas estão, ou não, relacionados com a EM e considerarão o que é necessário.

– Escolha os profissionais mais adequados para cada caso: se o novo problema com um paciente de EM não for neurológico, e, portanto, você não pode tratar no neurologista, procure a pessoa da área especializada afetada. Assim, este novo problema de saúde será exaustivamente analisado com ferramentas e conhecimentos adequados. No entanto, vale lembrar que você deve sempre informar o seu histórico e deixar seus médicos cientes da EM.

– Seja claro sobre o que é prioridade: você precisa saber que você deve tentar tratar primeiro a doença mais grave. Assim, você deve considerar se a EM é, ou não, uma prioridade neste respeito. Na verdade, se você sofre, por exemplo, juntamente com outra doença em que a vida das pessoas possa estar em perigo, a esclerose múltipla não é a prioridade. Não seria o caso se ao mesmo tempo que a EM você vivesse com uma doença mais branda. Sobre este ponto, temos de salientar que são os especialistas quem devem considerar a ordem dos tratamentos realizados e como eles devem ser combinados.

-Verifique se todos os médicos têm uma lista completa dos medicamentos tomados e tratamentos complementares que você segue: para evitar incompatibilidades, ou que alguma substância influencie o efeito de outra, ou até que a combinação de drogas para EM possa prejudicar outras pessoas de alguma forma. Nesse sentido, também é aconselhável sempre usar os medicamentos receitados pelo seu médico, assim como o mesmo software é usado para detectar possíveis interações medicamentosas adversas. Por outro lado, é necessário se comunicar tratamentos adicionais, como fisioterapia por exemplo.

– Peça ajuda: ter duas doenças ao mesmo tempo pode complicar muito a gestão da saúde de si mesmo. É importante que, no caso de se sentir exausto, sem energia ou muito cansado, você peça ajuda. Nem sempre é fácil compartilhar com alguém todos os momentos de visitas, medicamentos, dosagens, testes, etc. Então você pode solicitar a assistência de amigos, familiares ou de profissionais.

Assim, apesar de estar passando por uma situação difícil em que diferentes problemas de saúde estão presentes no dia, você pode aprender a gerir e viver com eles.

 

National MS Society. Traduzido livremente. Imagem: Creative Commons.

Explore mais

Qualidade de Vida

10 mitos da esclerose múltipla

Por Maurício Brum, da Redação AME/CDD   Você certamente já ouviu falar da esclerose múltipla. Mas, até pelo nome da doença e pelo desconhecimento sobre