Como funciona uma punção lombar

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter

Saiba como funciona uma punção lombar, procedimento usado para o diagnóstico da Esclerose Múltipla

 

Diagnosticando a Esclerose Múltipla

O diagnóstico de Esclerose Múltipla (EM) envolve várias etapas. Uma das primeiras etapas é uma avaliação médica geral que pode incluir:

  • um exame físico
  • uma discussão sobre quaisquer sintomas
  • seu histórico médico

Se o seu médico suspeitar que você tem EM, pode ser necessário fazer mais exames. Isso pode incluir um teste de punção lombar.

O que é uma punção lombar para EM e como funciona?

Uma punção lombar envolve testar seu fluido espinhal para sinais de EM. Para fazer isso, o médico inserirá uma agulha na parte inferior das suas costas para remover o fluido espinhal.

A punção lombar é a única maneira de determinar direta e precisamente quanta inflamação você tem no sistema nervoso central. Também mostra a atividade do sistema imunológico nessas partes do corpo, o que é importante para o diagnóstico de EM.

O que esperar de uma punção lombar

Nenhuma preparação especial é necessária durante uma punção lombar, mas você pode querer chegar cedo para fazer quaisquer perguntas que possa ter sobre o que esperar durante o procedimento.

Durante uma punção lombar, o fluido espinhal geralmente é retirado entre a terceira e a quarta lombar na parte inferior da sua coluna usando uma agulha raquidiana. Seu médico irá garantir que a agulha seja posicionada entre a medula espinhal e a cobertura da medula, ou as meninges, ao puxar o fluido. Todo o procedimento normalmente leva 1 hora.

Você deve esperar que os resultados estejam prontos 2 a 3 dias após o procedimento.

Resultados de uma punção lombar

Uma punção lombar pode dizer se a quantidade de proteínas, leucócitos ou mielina no líquido espinhal está muito alta. Também pode revelar se o fluido em sua coluna contém um nível anormal de anticorpos.

A análise do seu fluido espinhal também pode mostrar ao seu médico se você pode ter outra condição que não a Esclerose Múltipla. Alguns vírus podem causar sinais e sintomas semelhantes aos da EM.

Uma punção lombar deve ser realizada junto com outros exames para confirmar o diagnóstico. O procedimento pode revelar problemas com seu sistema autoimune, mas outras condições que afetam seu sistema nervoso, como linfoma e doença de Lyme, também podem mostrar níveis elevados de anticorpos e proteínas em seu fluido espinhal, por isso a necessidade de confirmar um diagnóstico com testes adicionais.

Precisão da punção lombar para Esclerose Múltipla

Uma punção lombar pode revelar uma resposta imunológica anormal causada por EM. No entanto, outras condições também podem causar uma resposta imune semelhante no fluido espinhal. Além disso, cerca de 5 a 10% das pessoas com EM confirmada não mostram nenhuma anormalidade nos resultados de sua punção lombar.

Por essas razões, vários outros métodos de teste devem ser usados ​​para diagnosticar a EM.

Outros exames para EM

A EM compartilha os sintomas com outras condições de saúde, então seu médico precisará determinar se é a EM que está causando seus sintomas e não outra condição.

Outros testes que seu médico pode realizar para descartar ou confirmar um diagnóstico de EM incluem:

Dificuldade de diagnóstico

A Esclerose Múltipla costuma ser difícil para os médicos diagnosticarem porque uma punção lombar por si só não pode provar se você tem EM. Na verdade, não existe um único teste que pode confirmar ou negar um diagnóstico.

Outros testes incluem uma ressonância magnética para detectar lesões no cérebro ou na medula espinhal e um teste de potencial evocado para ajudar a detectar danos nos nervos.

Em conclusão

A punção lombar é um teste comum usado para diagnosticar a EM e é um teste relativamente simples de realizar. Geralmente, pode ser uma das primeiras etapas para determinar se você tem EM caso esteja apresentando sintomas.

Seu médico determinará se mais testes são necessários para confirmar o diagnóstico.

 

Fonte: Healthline

Tradução e adaptação: Redação AME – Amigos Múltiplos pela Esclerose

Explore mais