AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

LIGUE (11) 3181-8266

A RELAÇÃO DOS NÍVEIS DE SAL COM OS SINTOMAS DA EM

A RELAÇÃO DOS NÍVEIS DE SAL COM OS SINTOMAS DA EM

Consumir muito sal pode causar problemas de saúde em todos, mas uma nova pesquisa sugere que, para as pessoas com EM, os níveis de sal poderiam ser especialmente importantes.

Em 2013, pesquisadores dos EUA descobriram que os níveis de sal parecem afetar células no sistema imune. Eles descobriram que, em modelos animais da EM os níveis elevados de sal fazem com que as células produzam fatores que desencadearam a inflamação que provocou danos mais graves em comparação com os níveis mais baixos de sal.

Esta pesquisa sugere que os níveis de sal podem estar ligados à inflamação, mas como esses resultados podem ser aplicados a pessoas com EM?

Um artigo publicado recentemente no Journal of Neurology, Neurosurgery e Psiquiatria por pesquisadores da Argentina deu algumas respostas para essa pergunta.

Quanto mais sal maior a taxa de recaídas

Os pesquisadores mediram os níveis de sal na urina de pessoas com EM ao longo de dois anos para tentar descobrir se havia alguma ligação entre esses níveis e a taxa de recaídas remitentes-recorrentes.

Pessoas com níveis médios ou superiores à média de sal na urina eram mais propensas a ter recaídas em comparação às pessoas com níveis abaixo da média. Os pesquisadores também descobriram que as pessoas com níveis médios ou elevados de sal tinham uma maior chance de desenvolver novas lesões.

Para se certificar de que seu estudo era confiável, eles então repetiram a análise com um diferente grupo de pessoas com EM remitente-recorrente, e obtiveram o mesmo resultado: os níveis de sal mais elevados foram associados a maiores taxas de recaídas.

Os próximos ensaios clínicos necessários

Estes resultados são realmente interessantes, e, definitivamente, ajudam os pesquisadores a entender mais sobre como a dieta pode desempenhar um papel nos efeitos e na progressão da EM. No entanto, no total, apenas 125 pessoas com EM remitente-recorrente fizeram parte no estudo.

Os ensaios clínicos que controlam os níveis de sal na dieta de pessoas com esclerose múltipla precisam ser realizados antes que uma conclusão definitiva possa ser alcançada, e os pesquisadores vão continuar a investigar como o sal pode ter relação com a EM.

Dieta e EM

Em geral, todos nós devemos estar cientes de quanto sal estamos colocando em nossos pratos, porque de acordo com o SNS, a maioria das pessoas comem muito do que a quantidade indicada por dia. Os níveis elevados de sal podem causar um aumento da pressão sanguínea que foi ligado a um risco aumentado de desenvolvimento de doença cardíaca e derrame.

Não há nenhuma evidência definitiva para mostrar que qualquer dieta específica tenha um efeito sobre o desenvolvimento e a progressão da EM. Para a maioria das pessoas com EM, a melhor dieta é uma alimentação saudável e variada.

Se você está preocupado com o consumo de sal, ou qualquer aspecto de sua dieta, é melhor falar com o seu médico ou um profissional de saúde.

 

Fonte: MS Society. Traduzido livremente. Imagem: Creative Commons.

ame

ame

A AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose nasceu do sonho de divulgar a EM e contribuir com a busca de diagnóstico precoce, tratamento adequado e melhora na qualidade de vida dos pacientes, seus amigos e familiares. Somos uma Organização sem Fins Lucrativos que, desde 2012 reúne amigos múltiplos com uma missão de compartilhar informação de qualidade sobre a EM de forma gratuita e acessível.

VER TODOS POSTS

Deixe uma resposta