Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter

Oie meus amores múltiplos como vocês estão? Espero que todos estejam bem, da melhor maneira possível.

Tenho certeza, que vocês já estão ouvindo muito sobre esse assunto, que quero tratar aqui.  Ouço nas rádios, vejo na TV e principalmente nas redes sociais.

Está em pauta no momento, falar que estamos vivendo um “novo normal”. Me pergunto diariamente o que  estão querendo dizer com essa expressão?

Descobri que no consciente da maioria da população, esse momento que estão chamando de “novo normal”, nada mais é, do que voltar a vida como era antes, retomar a rotina de trabalho e lazer.

Estão aguardando as informações de como será voltar a se socializar nesse  mundo após a pandemia. Ops, mas ainda temos registros de milhares de mortes espalhadas pelo país, na realidade não há nenhuma expectativa de tratamento certeiro para o covid 19 e no caso da vacina que imunize grande parte da população, temos conhecimento que ainda levará um bom tempo, pois imunizar um país do tamanho do Brasil precisaremos mais do que apenas as próprias vacinas que seguem em teste. Portanto, continuo me questionando, onde está o “novo normal”?

Tenho bem vivo em minha memória,  que no início da quarentena, os brasileiros admiravam os europeus que estavam fazendo lindas e longas demonstrações de solidariedade em suas janelas e sacadas, uns para os outros. E nos diziam: “ Ninguém vai sair dessa como entrou, todos sairemos pessoas melhores depois dessa pandemia, mais humanas. Todo mundo cresce, melhora diante de uma desgraça dessas.”

E vejam vocês, onde nós nos encontramos, num país onde não se respeitam o isolamento, menos ainda o distanciamento e olhe lá, se a máscara não for obrigatória. Ninguém respeita, não usam, usam de forma errada e ainda descriminam quem está usando.

Estão aguardando, que alguém anuncie que esse novo normal, seja uma possível volta ao tempo,  o momento que tudo volte a ser como era antes, só que com medidas que previnam a transmissão do vírus.

Na realidade, temos que ser honestos e não é questão de ser otimista ou pessimista, é de enxergar o que o mundo já enxergou faz tempo e nós insistimos em não ver.

O mundo já está vivendo o segundo pico de transmissão por causa da liberação de circulação entre as pessoas. A França por exemplo, está sinalizando sua zona vermelha, onde casos estão aumentando muito diariamente e causando óbitos.

Bem, é óbvio que todos estão querendo acordar desse pesadelo, ou saber que essa tempestade acabou. Afinal, podemos contabilizar a quantos dias estamos numa montanha russa de sentimentos.

Há dias que costumo acordar desanimada, sem muita vontade de fazer nada, porque quando penso que é praticamente as mesmas coisas de dias atrás que tenho que fazer, desanima. Mas, aí durante o dia acontece algo diferente que acaba dando um certo ânimo e pego outro caminho, é uma amiga  que chama no WhatsApp, uma live bacana pra assistir ou minha mãe que liga e de repente, me pego ouvindo as músicas que gosto, chacoalho o esqueleto, saio cantarolando e ainda assisto algo em companhia do Baby e de supetão , surge uma fala mais comovente na tela e lá estou eu chorando toda emocionada, daí respiro fundo, ranjo os dentes e vou tentar outro caminho. Quando vou ver , já estou só, eu e a gata, Jolie. Junto aos meus pensamentos que vagueiam entre o passado, a nostalgia, as lembranças e o futuro incerto, medonho. Uma vez que era pra estar apenas focada no momento presente.

No entanto , me vi mexendo nas minhas fotos e percebi que meses atrás, eu era uma pessoa produtiva, ágil, em movimento, usando a criatividade. E agora? Quem eu era? Essa pessoa, sem vontade de criar nada, sem ideias, perdida na minha falta de inspiração.

Não! Sou a mesma de antes, apenas um pouco mais cansada dessa situação, enjoada, pedindo que a gente saia logo disso e bem. Que as pessoas sejam realmente mais humanas e solidárias! Para combatermos não só o coronavírus mas também outros males que nos assombram a tanto tempo!!!

E virando a página, já estou me sentindo mais produtiva, cheia de planos e projetos a desenvolver.

Sem esquecer que profissionais da saúde estão adoecendo, porque a população não está mais respeitando o isolamento, sabemos o quanto não é fácil ficarmos afastados de uma sociabilidade, porém devemos pensar naqueles que estão lutando por nós.

Amigos múltiplos, continuem se cuidando.

Mil e um beijinhos e até mais…

Explore mais

Emoções

Hello, meus Raros tudo bem?

por Aline Souza Venho através desse texto compartilhar minhas experiências nos últimos tempos para ter um encaminhamento para o neurologista via SUS. O Sus é

Coronavírus

O caminho de volta

por Suzana Gonçalves Há quase dois anos fomos literalmente surpreendidos pela pandemia, dúvidas no ar… Como nossos corpos com esclerose múltipla irão se  comportar diante