#STFMinhaVidaNãoTemPreço

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

No próximo dia 28, o Supremo Tribunal Federal (STF) irá julgar se é dever do Estado fornecer medicamento de alto custo A pessoas com doenças graves que não possuem condições financeiras para comprá-lo. O caso a ser julgado envolve paciente que reivindica um remédio de alto custo para hipertensão pulmonar, não previsto na relação fornecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A decisão sobre esse caso irá afetar todos os brasileiros e brasileiras que já sofrem com suas doenças graves, sem cura e que precisam de medicação, correndo risco de morte caso não sejam tratados adequadamente.

Dizer que o Estado não tem dever de arcar com os custos do tratamento de uma pessoa é inconstitucional, visto que a nossa Constituição Federal (1988) prevê a saúde como direito de todos e dever do Estado, que deve garantir “mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação".

Não pedimos para ter uma doença e queremos viver com dignidade. Negar tratamento é negar a vida.

Participe da campanha assinando o abaixo assinado que será encaminhado ao STF: goo.gl/nZb8Ns

Compartilhe com seus amigos. 

Essa luta é nossa!

Reda̤̣o AME РAmigos M̼ltiplos pela Esclerose

Explore mais

Clube AME

Um triângulo amoroso: ele, ela e EM

Kate e Frank são casados há mais de 10 anos eles falam como a esclerose múltipla afeta o relacionamento deles e a vida familiar.

Clube AME

Vivendo com Esclerose Múltipla em família

O impacto emocional de um diagnóstico de esclerose múltipla pode ser difícil de lidar para toda a família. Uma família conta sobre os altos e baixos de viver com a esclerose múltipla, como eles se apoiam mutuamente e seus conselhos para outras famílias.