AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

LIGUE (11) 3181-8266

A relação da EM com o uso de anticoncepcionais hormonais

A relação da EM com o uso de anticoncepcionais hormonais

Mulheres com esclerose múltipla (EM) ou síndrome clinicamente isolada (CIS) eram mais propensos a ter usado contraceptivos orais nos 3 anos antes do diagnóstico do que as mulheres que não tiveram EM ou CIS, de acordo com os resultados de um novo programa de estudo caso-controle.

"Independente da idade, tabagismo, paridade e obesidade, houve uma ligação entre o uso de contraceptivos orais e o desenvolvimento dos primeiros sintomas da esclerose múltipla", o autor Kerstin Hellwig, MD, pesquisador pós-doutorado na Kaiser Permanente Southern California, comentou à Medscape Medical News. "Estes resultados sugerem que o uso de contraceptivos hormonais podem estar contribuindo, pelo menos em parte, ao aumento da taxa de EM entre as mulheres."

O estudo será apresentado na Academia Americana de Neurologia (AAN) na 66 Reunião Anual da Filadélfia, que acontecerá de 26 de abril a 3 de maio de 2014.

Risco 35% maior

Os pesquisadores investigaram essa associação em um estudo caso-controle de base populacional a partir da adesão de Kaiser Permanente Southern California. Eles identificaram 305 mulheres com EM ou CIS diagnosticada pela primeira vez entre 2008 e 2011, que tinham pelo menos 3 anos de uso contínuo de anticoncepcionais hormonais antes do início dos sintomas.

Cada caso foi combinado com 10 controles com base em características de idade, raça/etnia, e inscrição. Os dados foram obtidos a partir do registro eletrônico de saúde completo e analisados ​​por meio de regressão logística, três anos antes do início dos sintomas.

Os resultados mostraram que 29,2 % dos casos e 23,5% dos controles tinham usado um contraceptivo hormonal por pelo menos 3 meses dentro de 3 anos antes do início dos sintomas. A maioria usou estrogénio/progestina.

Mulheres que usaram algum contraceptivo hormonal nos 3 anos antes que os sintomas início tiveram um risco aumentado em 35% de desenvolvimento de EM/CIS. Aquelas que tinham parado de usar contraceptivos hormonais, pelo menos 1 mês antes do início dos sintomas tinham um risco aumentado de 50%.

Tabela: Risco para EM/CIS em mulheres com histórico de uso contraceptivo hormonal vs não-usuárias

Dr. Hellwig disse: “Este é um efeito pequeno e não podemos fazer qualquer recomendação com base nessas observações.”

Observando que dois estudos anteriores têm sugerido uma associação semelhante, ele acrescentou que “esta é apenas mais uma pequena parte do quebra-cabeça.”

Ele explicou que a EM é mais comum em mulheres, e alguns estudos sugerem que a incidência está aumentando em mulheres, mas não em homens, levando a questionamentos sobre se algo na mudança do estilo de vida das mulheres pode explicar isso.

"Hormonios desempenham um papel importante em muitas doenças, e sabemos que a gravidez – que está associada com níveis elevados de estrogénio – é protetora contra recidivas em mulheres que já têm EM, assim hormonas parecem estar envolvidas de algum modo na doença."

Ele observou que uma ideia é que baixos níveis de estrogênio podem desencadear a doença auto-imune, mas não há informações sobre possíveis limites necessários para um efeito protetor ou prejudicial.

Os pesquisadores não mediram outros fatores associados ao estilo de vida das mulheres modernas, como a dieta, os níveis de atividade, ou quanto tempo eles gastaram fora, então vários fatores de confusão em potencial provavelmente não foram contabilizados.

Eles agora estão planejando olhar para exposição da vida, porque se a associação foi causal, seria de esperar o risco de aumentar com o tempo de exposição.

Este estudo foi apoiado pelo Kaiser Permanente Direct Community Benefit Funds, o National Institutes of Health e o German Research Foundation.

Medscape. Traduzido livremente.

ame

A AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose nasceu do sonho de divulgar a EM e contribuir com a busca de diagnóstico precoce, tratamento adequado e melhora na qualidade de vida dos pacientes, seus amigos e familiares. Somos uma Organização sem Fins Lucrativos que, desde 2012 reúne amigos múltiplos com uma missão de compartilhar informação de qualidade sobre a EM de forma gratuita e acessível.

VER TODOS POSTS

2 Comentários

  1. Euridce Jamisse tembe 6 dias atrás 11 de dezembro de 2018

    Este grupo iria ajudar me muito. Fui diagnosticada a 1 ano com EM e poucas vezes consigo ter respostas no meu pais. Faço avonex e tem me ajudado

    RESPONDER
    • ame 5 dias atrás 12 de dezembro de 2018

      Olá Euridce, como vai?
      Muito obrigada pelo seu interesse 😉

      A AME nasceu para tornar a vida das pessoas com EM melhor. Desde sempre defende que #InformaçãoÉoMelhorRemédio, se dedica a ajudar no diagnóstico precoce, conscientizar sobre os sintomas e a realidade de quem convive com EM.

      Somos uma associação que preza pela informação de qualidade, então nossos serviços são todos digitais e, portanto, gratuitos. Fazemos curadoria de conteúdo e incentivamos o empoderamento do paciente para que ele busque a qualidade de vida pós diagnóstico 😉

      Em que podemos te ajudar?

      Abraços múltiplos,

      RESPONDER

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *