Fazendo o ENEM

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Pois este ano resolvi fazer o ENEM. Não foi uma decisão ambiciosa, tipo: “vou tirar uma nota alta e iniciar uma faculdade”, na verdade eu só queria esmo testar meus conhecimentos e ver a quantas ando.

A última vez que frequentei uma sala de aula (exceto cursos rápidos) foi há 26 anos. Cncluí o ensino médio com um cursinho supletivo (3 anos em 1) e segui a vida. Já tinha filho, trabalhava o dia todo e não tinha grana pra bancar mais estudo. Na verdade, nunca soube ao certo o que seguir como carreira, tinha vontade de fazer vários cursos, mas nunca “sonhei” com algo específico.

Agora, com as crianças crescendo e a maturidade a pleno, me bateu uma vontadinha de tentar. Não agora, ainda não, mas num futuro próximo, quem sabe?

Um dos meus maiores problemas com relação à isso é justamente a EM. Tenho déficits cognitivos importantes e que se agravam sempre com a fadiga. Para que eu possa realizar esse desejo de fazer uma faculdade, preciso esperar que as crianças cresçam um pouco mais e preciso de adaptações à minha rotina que ainda não tenho condições de fazer.

Mas foi um bom teste. Não quis estudar nada, quis fazer as provas “crua”, para saber realmente como estou. A princípio, fiquei muito decepcionada comigo mesma, achei que teria mais tranquilidade, mas para o meu déficit cognitivo que me tira a atenção justamente da leitura, as provas se tornam muito cansativas e por causa disso, difíceis. Mas acho que nem fui tão mal assim.

O interessante foi que na sala onde fui designada para fazer as provas, só tinha gente da minha idade. Foi até engraçado ver, pouco a pouco, só entrarem “cabeças brancas” na sala. Fizemos muita piada disso: “turma da geriatria”, “sala dos idosos”, “turma da terceira idade” e por aí vai. Mas foi bom porque não me senti uma aberração no meio da garotada.

Ainda não sei minha nota, os resultados só saem em janeiro. Sei que não será uma boa nota. Mas se eu tiver uma nota razoável, já ficarei bem feliz.

Independente de seguir adiante ou não achei a experiência boa e estimulante. Se tudo der certo, pretendo fazer novamente no ano que vem. Porque a meta é estimular o cérebro, mantê-lo funcionando, mesmo que seja só fazendo o ENEM todo ano!