Equilíbrio do Desequilíbrio!

Oi Amigos,

A palavra Equilíbrio vale para muitas coisas em nossa vida!

Aqueles que Nunca possuem Tempo para eles mesmos são pessoas Desequilibradas!

Isso acontece?

Todas as pessoas dizem o contrário, que Não acontece! É só ver o Clima, o Transito dos veículos automotores, a Alimentação e Muitas outras coisas que mostram Desequilíbrio!

Nós Precisamos encontrar o nosso Equilíbrio!

Mas Rodrigo como refletir sobre nossos Desequilíbrios?

Usando parte da frase de Descartes a frase ficaria: Penso, Logo Insisto!

Precisamos Insistir para os nossos Acertos! A dúvida nos coloca em movimento!

A Insistência nos faz irmos Além de nossos Desequilíbrios, em direção de uma vida com Equilíbrio!

Para isso Precisamos, Sempre, termos Dúvida sobre o nosso Conhecimento! É assim que evoluímos como pessoa!

Dialogar com o mundo e com as pessoas têm suas formas de ser e de viver. Dialogar com elas é, antes de qualquer coisa, se relacionar com elas.

Essa relação deve acontecer a partir de formas e cuidados. Nós, em nossos diálogos com familiares, com amigos ou no trabalho, devemos nos preocupar em construir uma comunicação positiva, que diz alguma coisa ao outro, tornando-o parte dessa relação.

A vida tem suas tristezas e suas alegrias, independente da fé e da cultura de cada um! Compartilhá-las é se relacionar. Dialogamos quando nos importamos com as pessoas, nos esforçando para sermos luz e apoio em meio às dificuldades que aparecem. Também dialogamos quando compartilhamos as nossas alegrias e a dos outros.

Ações em conjunto também nos mostram uma forma de dialogar. O diálogo das obras indica que podemos não conhecer a vida do outro, suas preocupações e suas alegrias, mas podemos agir juntos e nessa ação acabamos por conhecer aquele que era desconhecido para nós. Eu posso não conhecer o meu vizinho, mas o problema da violência na minha rua atinge a nós dois.

Tentar amenizar isso é interesse e preocupação nossa e quando trabalhamos por isso, apresentamos parte de nossa vida, como nós somos e pensamos, ao outro. É no diálogo que acontece a partir de ações concretas que edifica as relações concretas.

Juntamente com a vida e as ações na vida, temos nossos padrões mentais. Nossa forma de pensar que pode ser elemento de diálogo, de convivência, ou elemento que pode separar e excluir as ideias do outro. Por isso o confronto das ideias, apoiado no respeito e no direito ao livre pensamento, nos deixa frente a frente com ideias que se somam às nossas e com ideias que se opõem às nossas. Ser capaz de enfrentar tanto uma quanto outra é ser capaz de dialogar.

Na experiência religiosa de cada um, independente de qual seja a sua religião e conhecer essa relação do outro não é negar a sua identidade, é viver a sua identidade com o outro. Cada pessoa dá seu testemunho, e esses testemunhos dialogam entre si.

Desejo Muito, Muito e Muito Diálogo…Com Equilíbrio!

Rodrigo

o