Começando a blogar na AME.

Quando comecei a escrever no blog, não queria falar sobre meus filhos nem sobre esclerose múltipla, ao menos não especificamente sobre isso. Queria expressar minhas opiniões sobre os mais diversos assuntos, desabafar sobre minhas aflições, contar sobre minhas memórias de momentos legais e marcantes de minha vida, trocar ideia com pessoas diferentes para mudar meu ângulo de visão sobre os meus problemas e assim encontrar novas possíveis soluções.

Mas meus filhos e a esclerose múltipla são temas recorrentes por estarem muito presentes na minha vida. Como é muito mais fácil escrever sobre aquilo que vivencio, acabou se tornando natural tocar nesses assuntos. Com o passar do tempo, percebi o quanto poderia ajudar outras pessoas. Pessoas que, assim como eu, não sabiam nada sobre esclerose múltipla até receber o diagnóstico e que recorrem à internet em busca de informação. E tem sido assim, recebo muitos emails pedindo ajuda e informação especialmente de mulheres com EM querendo engravidar.

Não sou uma expert, muito menos médica, tenho consciência que não posso dar conselhos irresponsáveis, por isso sempre recomendo a quem me procura que tenha uma conversa franca com seu neurologista e exponha suas dúvidas e no caso das gestantes ou tentantes, que mantenham neuro e obstetra bem informados sobre tudo, de preferência colocando um em contato com o outro.

Mas uma conversa comigo sempre leva algum alívio para a aflição de quem me procura e em 100% das vezes, traz satisfação e conforto pra mim. E é por isso que escrevo sobre a esclerose múltipla, porque quando levo algum alívio, conforto para alguém eu também me beneficio!