menu

 

A Esclerose Múltipla é uma doença inflamatória desmielinizante. Significa que é causada por danos na mielina - um material gorduroso que protege os nervos - agindo como o revestimento de um fio elétrico.

A mielina permite que o nervo transmita seus impulsos rapidamente. É a velocidade e eficiência com que estes impulsos são conduzidos que permite que movimentos suaves, rápidos e coordenados sejam realizados com pouco esforço consciente. Na EM, a perda de mielina (desmielinização) é acompanhada por uma perturbação na capacidade dos nervos em conduzir os impulsos eléctricos e do cérebro. Isso produz os vários sintomas da EM. Os locais onde a mielina é perdida (placas ou lesões) aparecem como endurecidos, na esclerose múltipla essas cicatrizes aparecem em diferentes momentos e em diferentes áreas do cérebro e da medula espinhal. 

O termo esclerose múltipla significa "muitas cicatrizes”. Os sintomas variam muito e incluem visão turva, perda de força, sensações de formigamento, instabilidade e fadiga. Para algumas pessoas, a EM é caracterizada por períodos de surto e remissão, enquanto, para outros, ela tem um padrão progressivo. Para todos o diagnóstico de EM torna a vida imprevisível. 

Por isso é tão importante manter uma visão positiva sobre viver uma vida saudável, a fim de aproveitar ao máximo os aspectos físicos, emocionais, sociais e espirituais da saúde. Embora ainda não exista cura para a EM no presente, há esperança, e você pode encontrar a sua própria maneira de viver com a doença.

 

TERAPIAS ALTERNATIVAS E REABILITAÇÃO

 

As Terapias Alternativas podem ajudar muito a gerir e amenizar os sintomas da EM. No entanto, devem ser escolhidas pensando sempre nas necessidades individuais de cada um. Por isso, lembre-se de sempre conversar com seu médico.

Acupuntura

A acupuntura é uma ferramenta da medicina oriental utilizada para equilibrar “Yin e Yang”, canais meridianos abertos que são bloqueados, removendo possíveis bloqueios e facilitando a circulação de energia para produzir uma terapia eficaz. No tratamento, o profissional insere finas agulhas esterilizadas e descartáveis, sobre a superfície da pele nos pontos (muitas vezes chamados de pontos de acupuntura) que está conectado com os problemas em questão.

Existem poucos estudos sobre a acupuntura e EM especificamente. Mas, os poucos existentes, mostraram benefícios a curto prazo, sugerindo melhorias da dor, problemas intestinais e da bexiga, espasticidade,fraqueza, coordenação, formigamento, e insônia.

 

Yoga

A Yoga é uma terapia que se concentra na relação entre consciência, comportamento e o corpo físico. O relaxamento geralmente é um componente importante nas terapias desta linha, acompanhado de meditação, sensibilização e técnicas de respiração, atividade física ou posturas corporais. Existem muitas variedades de yoga. Muitos pacientes com EM sofrem de dor crônica e dor de cabeça.

Embora não tenha sido especificamente estudado o efeito da yoga em pessoas com EM, um programa de dez semanas de meditação foi associado à melhora dos níveis de dor em pacientes com dor crônica. 

Este processo pode ajudar a aumentar a consciência da pessoa e sua capacidade de controle consciente das suas funções.

 

Hidroterapia

Pode ser muito útil para pessoas com EM, pois fornece um treino aeróbico, ao mesmo tempo que mantem a temperatura do corpo estável.

Atente-se à temperatura da água, pois o calor está relacionado à piora dos sintomas. 

O aumento da temperatura na condução nervosa pode atrasar, ou bloquear os impulsos nos nervos afetados.

Este fenômeno é conhecido como Uhthoff. Entenda mais à respeito: http://bit.ly/1PCpVbu

 

 

Fisioterapia

Este tipo de reabilitação é usado principalmente após uma recaída ou quando uma pessoa descobre que não pode mais fazer certas atividades.

Por exemplo, se uma pessoa tem sofrido mais com a fraqueza nas pernas, a fisioterapia pode ajudar a melhorar a força e o controle através de exercícios de resistência.

A espasticidade e a rigidez muscular podem ser aliviadas por alongamentos e técnicas de posicionamento ensinados por um fisioterapeuta.

 

 

Fonoaudiologia

Algumas pessoas com EM pode ter problemas com a fala e a deglutição, dependendo de onde as lesões ocorrem no sistema nervoso central.

A terapeuta realiza uma avaliação minuciosa das áreas dos lábios, garganta, língua e laringe para identificar as principais questões.

Em seguida usando estratégias para ajudar a corrigir os problemas, como mudar a posição da cabeça e do corpo, sugere controles durante a deglutição ou mudanças de dieta.

 

 

Terapia ocupacional

Este tipo de terapia enfoca as habilidades que são importantes para a continuidade das ocupações diárias da vida, por exemplo, lavar, vestir, cozinhar, caminhar, escrever, ir ao trabalho, participar de atividades sociais e de lazer.

O terapeuta ocupacional irá avaliar cada indivíduo e, em seguida, trabalhar com ele para ajudar a restaurar essa função, sugerir outras formas de fazer as coisas, ou dar conselhos de adaptações que possam ajudar nestas questões.

 

 

Reabilitação profissional

Esta reabilitação presta serviços, suporte e treinamento para capacitar as pessoas com EM a obterem, manterem e avançarem no seu trabalho.

Por exemplo, os terapeutas podem trabalhar com alguém para identificar e ajudar a implementar mudanças no local de trabalho que poderão ajudá-los a permanecer no trabalho, tais como alterações físicas e de acessibilidade.

Podem também fornecer informações sobre os seus direitos legais.

 

 

Psicologia / Terapia

O aconselhamento para pessoas com esclerose múltipla não consiste apenas em ouvir e dar conselhos, ele também pode ajudar com as incertezas e a imprevisibilidade da EM.

Proporciona às pessoas com esclerose múltipla a oportunidade de discutirem os problemas pessoais relacionados à doença com alguém neutro.

Passar pelo diagnóstico de EM pode ser confuso e levar ao isolamento e à solidão.

O aconselhamento profissional pode fornecer um melhor apoio emocional durante este tempo.

 

 

O que muda?

Dicas de adaptações que podem ajudar na vida com EM e informações sobre as questões que podem, ou não, ter relação com os sintomas. Alimentação, exercício, gestão do stress, viagens, atividades de lazer, entre outros.

Alimentação

Embora não existam comprovações de dietas específicas que afetem o processo da EM, existem algumas dicas alimentares que podem ajudar a amenizar os sintomas. Uma dieta bem equilibrada, pobre em gordura e rica em fibras, pode, por exemplo, ajudar a estabilizar o peso e melhorar a saúde intestinal. Uma boa dica para combater a fadiga, por exemplo, é consumir um tablete de chocolate amargo e ingerir ao menos 2 litros de água / dia.

Suplementos

Os suplementos dietéticos possuem minerais, cálcio e vitaminas em geral. Ainda que não devam substituir a ingestão natural destes elementos, podem ser úteis; entretanto orientamos que consulte o seu médico ou enfermeiro antes de tomar vitaminas, minerais ou suplementos para garantir a segurança e compatibilidade com os medicamentos já prescritos.

Exercício Físico

O exercício físico regular para pessoas com EM é importante por várias razões. Além disso, melhora a saúde cardiovascular, ajuda a melhorar a força e resistência, e é um fator importante de estabilização do humor. O exercício pode ajudar a aliviar a fadiga relacionada com a EM e gerenciar a espasticidade.

Stress

Lidar com o stress pode ser difícil. Ele faz com que a maioria das pessoas se sinta mal, mas o stress pode afetar aqueles que vivem com EM a ponto de agravar os seus sintomas. Uma das suas possíveis consequências é a elevação da temperatura corporal, e pessoas com esclerose múltipla tendem a se sentirem mais cansadas, ou terem uma piora temporária de outros sintomas quando a temperatura do corpo é elevada (vamos falar melhor sobre isso mais tarde). Algumas respirações profundas, visualizando uma lembrança agradável, técnicas de relaxamento ou desfrutar de um passatempo ou hobby são algumas dicas que podem ajudar na hora de aliviar o stress.




quem acredita

associações parceiras