AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

LIGUE (11) 3181-8266

USO DA MACONHA MEDICINAL

USO DA MACONHA MEDICINAL

O que é maconha medicinal?

A maconha medicinal é qualquer parte da planta de maconha que você usa para tratar algum problema de saúde. As pessoas usam para obter alívio de seus sintomas, não para tentar obter cura.

Nos EUA, onde é vendida legalmente em alguns estados, a maconha medicinal tem os mesmos ingredientes que o tipo que os povos usam para o prazer. Mas em alguns casos a maconha medicinal é especialmente desenvolvida para ter menos produtos químicos que causam sentimentos de euforia.

Ingredientes da maconha medicinal

As plantas de maconha têm centenas de produtos químicos, conhecidos como canabinoides. Os dois principais são THC e CBD. O THC dá alguns dos efeitos prazerosos que seus usuários procuram, mas também tem alguns efeitos que podem tratar problemas médicos.

Algumas pesquisas sugerem que a CBD pode ser útil para alguns problemas de saúde, mas isso não faz com que você fique “alto”.

Como funciona a maconha no cérebro

As pessoas que fumam maconha começam a sentir seus efeitos quase que imediatamente, enquanto aqueles que comem podem não sentir seu efeito por até uma hora.

Quando você fuma maconha, o THC vai de seus pulmões para a corrente sanguínea e faz com que suas células cerebrais liberem a dopamina química, deixando-o sentir-se “alto”.

Especialistas sabem menos sobre como o CBD funciona. Eles pensam que pode funcionar às vezes com THC, e às vezes por conta própria, para ter um efeito sobre o cérebro.

Usos para maconha medicinal

A maconha medicinal pode ajudar a aliviar a dor, náuseas e perda de apetite em pessoas que têm câncer e HIV. No entanto, ainda não há muita pesquisa nessas áreas.

Algumas pesquisas sugerem que a maconha medicinal pode reduzir convulsões em pessoas com epilepsia. Alguns estudos mostram que também pode aliviar os sintomas da esclerose múltipla, como rigidez muscular e espasmos, dor e micção frequente.

Efeitos colaterais de curto prazo

A maconha medicinal pode mudar seu humor, fazendo você se sentir feliz, relaxado, sonolento ou ansioso. Ela também pode interromper sua memória de curto prazo e capacidade de tomada de decisão. Estes efeitos secundários podem durar de 1 a 3 horas.

Grandes doses de maconha medicinal podem fazer algumas pessoas terem alucinações, delírios e paranoia. Pesquisas sugerem que fumar maconha pode trazer problemas respiratórios, como bronquite.

Efeitos colaterais a longo prazo

Fumantes regulares de maconha medicinal podem ter problemas respiratórios, como tosse diária e maior risco de infecções pulmonares.

Os estudos também ligam o uso rotineiro à doença mental, depressão, ansiedade, menos motivação e pensamentos suicidas entre os jovens. O uso de maconha durante a gravidez pode aumentar o risco de problemas de saúde em bebês. O uso de maconha pode resultar em vício.

Formas de maconha medicinal

Os usuários fumam maconha medicinal em cigarros ou cachimbos em rolo de papel. Também pode ser usado no preparo de bebidas ou alimentos ou ainda utilizado em forma de pílulas. Os efeitos de uma pílula de maconha podem ser fortes e duradouros. Isso torna difícil prever como isso afetará uma pessoa. Também pode ser inalado através de vaporizadores. Receptores de canabinoides também foram encontrados na pele. Alguns usam maconha tópica para dor e inflamação. No entanto, mais pesquisas são necessárias.

Onde a maconha medicinal é legal

Os eleitores da Califórnia foram os primeiros a legalizar a maconha medicinal, em 1996. Agora é legal em quase metade dos Estados Unidos.

No Brasil a maconha o uso da maconha é ilegal em todos os Estados.

 

Maconha medicinal para crianças

Alguns estudos sugerem que a maconha medicinal pode ajudar a aliviar convulsões em crianças com epilepsia difícil de tratar.

 

A AME não incentiva o uso de medicamentos não aprovados pela Anvisa, nem o uso de drogas ilegais. Traduzimos essa reportagem no intuito de informar sobre um assunto bastante buscado nas redes sociais pelos nossos Amigos Múltiplos. Ficamos na torcida por estudos amplos sobre o uso da maconha na medicina, principalmente para pessoas com Esclerose Múltipla. Atualmente, no Brasil temos uma medicação a base de Canabidiol aprovada pela Anvisa, o Mevatyl, conforme publicamos aqui. Converse com seu/sua médico(a) antes de utilizar qualquer substância.

Texto original em WebMD

Traduzido e adaptado por Redação AME – Amigos Múltiplos pela Esclerose

Fonte: WebMD

ame

ame

A AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose nasceu do sonho de divulgar a EM e contribuir com a busca de diagnóstico precoce, tratamento adequado e melhora na qualidade de vida dos pacientes, seus amigos e familiares. Somos uma Organização sem Fins Lucrativos que, desde 2012 reúne amigos múltiplos com uma missão de compartilhar informação de qualidade sobre a EM de forma gratuita e acessível.

VER TODOS POSTS