Uma mãe com Esclerose Múltipla

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Já se passaram quase 10 anos desde que uma mãe australiana, da cidade de Melbourne, Adriana Condello, foi diagnosticada com Esclerose Múltipla e ela ainda se lembra de seu medo sobre o que isso significaria para o futuro. 

“Fui diagnosticada com Esclerose Múltipla aos 20 anos, tudo o que eu sabia sobre isso era de um vídeo que eu tinha visto na escola sobre uma mulher que tinha Esclerose Múltipla e ela estava em uma cadeira de rodas”, disse a mulher de 36 anos à revista Woman’s Day.

Na época, a contadora recém-formada não havia pensado muito na maternidade, embora a Esclerose Múltipla não afetasse a sua fertilidade, os médicos explicaram que ela teria que parar de tomar a medicação durante a concepção e a gravidez, o que poderia levar a uma recaída.

Cheia de apreensão, Adriana conversou sobre isso com seu parceiro Mark. “Partia meu coração pensar que talvez nunca tenhamos um bebê”, lembra Adriana. “Eu disse a ele que era minha batalha e ele poderia me deixar se quisesse”. 

Mas Mark, 37, que se casou com Adriana em 2014, prometeu que nunca sairia do lado dela. Com a medicação, a dormência e o formigamento constante pararam, mas Adriana lutou contra a depressão. 

O amor e o apoio de Mark, além de se voluntariar para a MS Research Australia e se dedicar à arrecadação de fundos de pesquisa para a doença, ajudaram Adriana a superar os dias sombrios. Logo após o casamento, ela parou de tomar a medicação e o casal começou a tentar ter um bebê. “Eu estava determinada a me tornar mãe”. 

Embora não tenha tido uma recaída na época, Adriana enfrentou o trauma de sofrer quatro abortos. Então, depois de ir para a fertilização in vitro e ter uma tentativa fracassada, um exame de seis semanas mostrou que Adriana estava finalmente grávida.

“Esse bebê realmente foi nosso pequeno milagre”, lembra Adriana. “Mas porque eu estava sem medicação por tanto tempo, eu temia uma recaída e estava petrificada que perdêssemos este bebê também”.

Mas um ultrassom às oito semanas não mostrou problemas, exceto que, surpreendentemente, havia dois bebês! Agora mãe de seus gêmeos milagrosos, Olivia e Leo, de quatro anos, houve mais alegria para Adriana e Mark quando deram as boas-vindas à filha, Zoe, agora com 16 meses. 

Após uma recente recaída da EM, Adriana agora tem sua linda família treinada para ajudar sempre que ela precisar de apoio extra.

“Quando tenho dias ruins, Mark e nossas famílias são incríveis e intervêm para cuidar de mim e das crianças”, diz ela. “Eu também sou abençoada com três filhos lindos, e quando não estou bem, eles sobem na cama e me perguntam onde dói para que possam dar um beijinho para melhorar.”

Adriana e Mark
Adriana e Mark ficaram muito felizes em anunciar que estavam esperando um bebê. (Imagem: reprodução Now To Love AUS)
Adriana e seus filhos
Adriana e seus filhos (Imagem: reprodução Now To Love AUS)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tradução e adaptação: Redação AME – Amigos Múltiplos pela Esclerose

Fonte: Now to love Australia/Ruth McCarthy – 28 de maio de 2021

 

Leia mais no site da AME:

Explore mais

Qualidade de Vida

10 mitos da esclerose múltipla

Por Maurício Brum, da Redação AME/CDD   Você certamente já ouviu falar da esclerose múltipla. Mas, até pelo nome da doença e pelo desconhecimento sobre