NOVA DROGA PROMISSORA PARA EM REMITENTE

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Na reunião de 2014 sobre Esclerose Múltipla, realizada em Boston, pesquisadores do Instituto de Pesquisa Scripps, apresentaram os resultados de um estudo de 6 meses, a fase 2 de um candidato a fármaco para esclerose múltipla remitente.

A droga, chamada RPC-1063 foi descoberta por um hit dos Institutos Nacionais de Saúde (NIH) Biblioteca Molecular no Scripps ‘Florida Molecular Centro de Triagem e foi ainda mais sintetizado e desenvolvido no Scripps da Califórnia. O mecanismo de RPC-1063 atua através da modulação do receptor da esfingosina-1-fosfato.

Em um estudo com 258 pacientes com esclerose múltipla remitente, aqueles que receberam o medicamento tiveram uma redução de 53% na taxa de reincidência anual em comparação com placebo. Nos pacientes que receberam a droga também notou-se uma redução de 90% no aparecimento de novas lesões cerebrais observadas na ressonância magnética.

Além disso, mais de 98% dos pacientes permaneceu sobre o regime de droga, indicando um perfil de risco-benefício favorável. A droga está atualmente em uma fase 3 de estudo duplo-cego, envolvendo 1.200 pacientes com esclerose múltipla remitente, prevista para ser concluída em 2017.

 

Fonte: Transcrição do Medscape Neurology Minute com o Dr Alan Jacobs. Traduzido livremente. Imagem: Creative Commons.

Explore mais

Qualidade de Vida

10 mitos da esclerose múltipla

Por Maurício Brum, da Redação AME/CDD   Você certamente já ouviu falar da esclerose múltipla. Mas, até pelo nome da doença e pelo desconhecimento sobre