AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

LIGUE (11) 3181-8266

Gilenya demonstra redução de atividade da EM

Gilenya demonstra redução de atividade da EM

Dados apresentados em congresso americano revelam alta eficácia de Gilenya na redução da evidência de atividade da esclerose múltipla

Pacientes tratados com o medicamento têm seis vezes mais chances de não apresentar “nenhuma evidência de atividade da doença” (NEDA4 – ‘no evidence of disease activity’, em inglês) quando comparado ao placebo, segundo novas análises.
NEDA4 tem base em quatro medidas chave para mensurar a atividade da esclerose múltipla remitente recorrente (EMRR): surto, lesões de ressonância magnética, atrofia cerebral e progressão da incapacidade
 Análise do estudo TRANSFORMS mostra que pacientes com EM RR tratados com Gilenya™ têm duas vezes mais chances de alcançar o NEDA4 na comparação ao Avonex®
A Novartis apresentou resultados de uma nova análise dos estudos fase III FREEDOMS e II FREEDOMS no 67º Congresso Anual da American Academy of Neurology (AAN), que acontece entre 18 e 25 de abril de 2015, em Washington, DC, EUA. Dados mostram que pacientes com esclerose múltipla remitente recorrente (EMRR) altamente ativa e que foram previamente tratados com Gilenya™ (fingolimode), demonstraram chances seis vezes maiores de não apresentar “nenhuma evidência da atividade da doença” (NEDA4 – ‘no evidence of disease activity’, em inglês).
De acordo com a análise, o NEDA4 foi observado em quatro medidas consideradas fundamentais para mensurar a atividade da doença: surto, lesões de ressonância magnética, atrofia cerebral e progressão da incapacidade. Ou seja, para que seja alcançado o NEDA4, o paciente com EMRR não deve ter novos surtos ou novas lesões, nem atrofia cerebral acelerada ou apresentar progressão da incapacidade.
A análise foi realizada em pacientes diagnosticados previamente com esclerose múltipla remitente recorrente, tratados no ano anterior, mediante terapia injetável e avaliados sob a definição NEDA4, que inclui a atrofia cerebral1, que está associada à perda acumulada de funções2-9.
“O NEDA4 é um passo importante na avaliação do progresso de EM e um grande aliado dos médicos no desenvolvimento de um acompanhamento eficaz da doença e de formas de tratamento para os pacientes”, afirma a doutora em monogenética da esclerose múltipla, Regina Alvarenga, chefe do Serviço de Neurologia do Hospital da Lagoa e professora associada da UniRio.
Para a médica, Claudia Vasconcelos, doutora em Neurologia e Professora adjunta de Neurologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNIRIO), “o uso atualizado da definição NEDA4 permite aos médicos obter um quadro mais abrangente do status da doença e da resposta ao tratamento”. Segundo ela, esse é um caminho criterioso para identificação de uma terapia efetiva, no sentido de retardar o avanço da doença no curto e longo prazo.
A análise do estudo fase III TRANSFORMS também confirma que, após um ano de tratamento com Gilenya™, os pacientes com EMRR tem duas vezes mais probabilidade de alcaçar NEDA4, se comparados com pacientes que receberam Avonex®* – interferon beta-1a i.m. injections (odds ratio 1.93; 95% CI 1.36-2.73; p=0.0002)10.
Sobre a Esclerose Múltipla 
A doença é neurológica, autoimune e crônica – ou seja, as células de defesa do organismo atacam o próprio Sistema Nervoso Central, provocando lesões inflamatórias cerebrais e medulares11e12. Embora a causa da doença ainda seja desconhecida, a EM tem sido foco de muitos estudos no mundo todo, o que tem possibilitado uma constante e significativa evolução na qualidade de vida dos pacientes. Os pacientes são geralmente jovens, em especial mulheres de 20 a 40 anos13.
O diagnóstico é basicamente clínico e deve ser complementado por ressonância magnética. Os sintomas mais frequentes são fadiga, formigamento, perda de força, falta de equilíbrio, espasmos musculares, dores crônicas, depressão, problemas sexuais e incontinência urinária14 ao18.
Para saber mais acesse: http://esclerosemultipla.novartis.com.br/
Sobre Gilenya™
Gilenya™ é uma terapia oral e modificadora de doença (DMD) desenvolvida para impactar o curso da esclerose múltipla remitente recorrente (EMRR), com alta eficácia em quatro medidas-chave da atividade da doença: surtos, lesões de ressonância magnética, a atrofia do cérebro (perda de volume cerebral) e progressão da incapacidade19 a 23. No Brasil, é aprovado como tratamento de primeira linha das formas remitentes e recorrentes da EM.
O perfil de segurança de Gilenya em EMRR é vastamente compreendido, baseado em provas substanciais de três grandes ensaios clínicos e uma larga experiência no mundo real, em mais de 114 mil pacientes.
Sobre Novartis
A Novartis oferece soluções inovadoras de cuidados com a saúde que atendam às necessidades dos pacientes e da população. Com sede em Basileia, na Suíça, a Novartis oferece um portfólio diversificado para melhor atender essas necessidades: medicamentos inovadores, cuidados com os olhos e medicamentos genéricos. A Novartis é a única empresa global com posição de liderança nessas áreas. Em 2014, as operações do Grupo atingiram vendas líquidas de US$ 58 bilhões, enquanto cerca de US$ 9,9 bilhões foram investidos em pesquisa e desenvolvimento (US$ 9,6 bilhões excluindo encargos de depreciação e amortização). Desde 31 de dezembro de 2014, as empresas do Grupo Novartis contam com cerca de 130 mil colaboradores e os seus produtos estão disponíveis em mais de 180 países ao redor do mundo. Para mais informações, acesse www.novartis.com.br

Fonte: http://www.segs.com.br – 28/04/2015. Imagem: Creative Commons.

ame

ame

A AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose nasceu do sonho de divulgar a EM e contribuir com a busca de diagnóstico precoce, tratamento adequado e melhora na qualidade de vida dos pacientes, seus amigos e familiares. Somos uma Organização sem Fins Lucrativos que, desde 2012 reúne amigos múltiplos com uma missão de compartilhar informação de qualidade sobre a EM de forma gratuita e acessível.

VER TODOS POSTS

Deixe uma resposta