AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

LIGUE (11) 3181-8266

Cientistas identificam causas dos problemas de movimento e equilíbrio na EM

Cientistas identificam causas dos problemas de movimento e equilíbrio na EM

Uma nova investigação sobre as causas da inflamação excessiva que impulsionam a esclerose múltipla identificou um “freio” com defeito dentro de células do sistema imunológico, um freio que devem ser controlar a inflamação. Isto aponta para um alvo potencial para o desenvolvimento de novas terapias para tratar a esclerose múltipla e pode ter implicações importantes para outras doenças auto-imunes, tais como a colite doença do cólon e a dermatite atópica condição crónica da pele.

Além disso, o trabalho tem produzido novos modelos de sintomas de esclerose múltipla, tais como distúrbios do movimento e problemas de controle de equilíbrio que têm, até agora, resistiram esforços para imitá-los de forma eficaz no laboratório de pesquisa. Esses modelos representam novas ferramentas importantes nos esforços para melhor compreender – e eventualmente curar – EM e outras doenças autoimunes.

Os investigadores determinaram que uma mutação no gene estava a causar Nlrp12 células imunes conhecidas como células T ir descontrolado. Normalmente, os investigadores determinaram, a proteína do gene produz actua como um travão no interior das células T para controlar a resposta inflamatória. Mas uma mutação no gene que atrapalha o processo natural e provoca inflamação grave – com efeitos os investigadores encontraram mais intrigante.

Para surpresa dos pesquisadores, a inflamação resultante não produziu a paralisia freqüentemente associada com a esclerose múltipla. Ele fez, no entanto, produzir outros sintomas de EM – tais como distúrbios do movimento e problemas com controle de equilíbrio – que os cientistas têm se esforçado para replicar em laboratório configurações experimentais.

“É importante notar que a EM é uma desordem do espectro – alguns pacientes apresentam condições paralisantes e alguns pacientes não”, disse o pesquisador John Lukens, PhD, da Universidade de Virginia School of Medicine Departamento de Neurociências e seu Centro para o Cérebro Imunologia e Glia. “Não é de todos os sintomas são os mesmos, então isso pode nos dar um vislumbre da etiologia ou patogénese de que a família de MS.”

Ao bloquear a resposta inflamatória, os médicos podem um dia ser capaz de controlar os sintomas que provoca, tanto na EM como em outras doenças impulsionadas por hiperinflamação.

Fonte: University of Virginia Health System – 19/05/2015. Traduzido livremente. Imagem: Creative Commons.

ame

ame

A AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose nasceu do sonho de divulgar a EM e contribuir com a busca de diagnóstico precoce, tratamento adequado e melhora na qualidade de vida dos pacientes, seus amigos e familiares. Somos uma Organização sem Fins Lucrativos que, desde 2012 reúne amigos múltiplos com uma missão de compartilhar informação de qualidade sobre a EM de forma gratuita e acessível.

VER TODOS POSTS

Deixe uma resposta