E.Q.U.I.L.Í.B.R.I.O.

Oi Amigos, tudo bem?

Uma palavra muito importante para nós é EQUILÍBRIO.

Vamos descrever cada palavra desse termo:

E spero

Q ue

U ma

I déia

L iberte

I nstantes

B elos

R ealizando

I nformações

Ó timas

Acreditar SEMPRE que qualquer dificuldade que possa acontecer é MENOR que o Poder da Amizade.

Pode Até Parecer que isso é ‘lugar comum´, que acontece sempre, mas as pessoas estão lembrando-se disso? Precisam ser Equilibradas para Viverem Belos Instantes.

A ideia liberta de tudo o que nos imobiliza! Tenha Ideias e as realize!

As Realizações consistem em Ligar o que no passado foi Desligado. Desligado há mais de mil anos! Precisamos religar isso! Uma Religação… essa é a História das Religiões!

Todos tem uma religião e NADA IMPEDE de sermos amigos! Se liberte de qualquer ‘rótulo’ que possa acontecer!

Falar de Religiões é Falar de Religiões Equilibradas que Não exclui a outra pessoa que pensa diferente da primeira pessoa Mas podem viver e trabalharem juntas!

Estar em um mundo globalizado é falar de várias religiões, por isso vou utilizar um pouco de Teologia para refletirmos.

A Teologia é uma ciência que depende da fé.

É Ciência porque tem seus elementos especulativos a partir de realidades históricas e fenomenológicas. Também prescinde de análises linguísticas, sociológicas, dedutivas e filosóficas para a especulação histórica. Isso é uma característica da ciência teologia.

A lógica atual é incapaz de provar a existência ou a não existência de Deus. Por isso existem tantos tipos de religiões. Mas as religiões podem vivenciar a experiência de Deus. Não podemos tocar em Deus, mas podemos ter a experiência de Deus. A natureza mostra bem isso! Estas necessidades e ações não podem ser pensadas dentro da nossa atual lógica. O papel da teologia se faz necessário.

A teologia não pode ser competitiva achando que a pessoa está certa e Todas as Outras pessoas estão erradas. Isso causa Muitas Brigas porque participa de uma lógica mercadológica que não condiz com a sua realidade de atuação.

Uma dificuldade hoje é o que chamamos de sincretismo religioso. A participação em várias religiões chegando a uma religião pessoal. Um provérbio chinês diz que se não sabemos aonde queremos ir, qualquer caminho que se escolhe é o caminho errado.

Mais do que discutir o que é certo ou o que é errado, é decidir seguir algum caminho.

São grupos que acham que creem no Sagrado, mas creem em ídolos construídos pela mente humana. Isso evoca seguranças muito frágeis. As formas de idolatria: o dinheiro, o poder, a violência, as estrelas do espetáculo, a pessoa amada e os ideais revolucionários. São formas que mascaram um ateísmo em um teísmo porque produz pessoas escravizadas pelo que o ateísmo conduz. Uma característica de um ídolo é a produção de imobilidade. E essa estaticidade impede que a pessoa ultrapasse seus limites humanos.

A dinâmica envolve cada pessoa com a religião que participa. Toda a religião produz crescimento e transformação do humano em seu contexto social. A forma de impedir isso é tirar a mobilidade da pessoa. É impedir que o ser humano fosse de fato humano e se relacione com um Deus que até se fez humano. Como escreveu um teólogo, sobre Jesus Cristo, “de tão humano só podia ser Deus”.

É na humanidade que encontramos Deus. As religiões são caminhos para isso. A teologia está a serviço deste caminho. Terminamos esta reflexão com uma afirmação bíblica sobre o que é Deus: “Deus é amor”. E só é possível entender o que é o amor: amando e se relacionando.

Um abraço

Rodrigo