AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

LIGUE (11) 3181-8266

Estudo Canadense Relaciona Transtornos Psiquiátricos e Deficiência Física em Mulheres com EM

Estudo Canadense Relaciona Transtornos Psiquiátricos e Deficiência Física em Mulheres com EM

Depressão, ansiedade e outros transtornos de humor contribuem para a incapacidade física em mulheres com esclerose múltipla, de acordo com um estudo canadense que confirmou os resultados de pesquisas anteriores.

O artigo da equipe escreveu: “A comorbidade psiquiátrica está associada à progressão da incapacidade na esclerose múltipla de acordo com a revista Neurology.”

Vários estudos sugeriram que os distúrbios psiquiátricos são comuns entre os pacientes com EM. A inflamação cerebral ligada aos mecanismos subjacentes da EM tem sido relatada como um potencial impulsionador de depressão e ansiedade em pacientes com esclerose múltipla recorrente-remitente (EMRR). Além disso, crianças com EM são conhecidas por serem mais suscetíveis a transtornos psiquiátricos do que outras crianças.

Esses achados levantam a questão de saber se os transtornos psiquiátricos contribuem para a progressão da EM os resultados dos pacientes. Uma equipe canadense decidiu estudar o assunto. A equipe, liderada pela Dra. Ruth Ann Marrie, da Universidade de Manitoba, analisou registros de 2.312 adultos que foram diagnosticados com esclerose múltipla, 76% dos quais eram mulheres com esclerose múltipla remitente-recorrente.

Os registros eram de duas províncias que representam cerca de 15 populações da população canadense – o banco de dados da Esclerose Múltipla da Columbia Britânica e o banco de dados da Unidade de Pesquisa de Esclerose Múltipla da Nova Escócia.

Durante um período de seguimento variando de 6,2 a 14,8 anos, 36 por cento dos pacientes desenvolveram um transtorno de humor ou ansiedade. O mais comum foi depressão (37 por cento), seguida por ansiedade (22 por cento) e transtorno bipolar (5 por cento). Em resultados que estavam de acordo com os relatórios, os pesquisadores descobriram que os pacientes com transtorno de humor ou ansiedade apresentaram piores escores de incapacidade física, medidos por escores na escala de status de incapacidade expandida (EDSS). Essa tendência foi encontrada em homens e mulheres, mas foi estatisticamente significativa apenas em mulheres.

Para uma compreensão mais detalhada da associação, a equipe re-analisou os dados de acordo com o transtorno individual. Eles descobriram que apenas a depressão estava significativamente associada a altos escores de EDSS. Isso sugere que a ansiedade e o transtorno bipolar não contribuem para a incapacidade física em pacientes com EM.

Coletivamente, os resultados sugeriram que os transtornos psiquiátricos, particularmente a depressão, podem contribuir para a progressão da EM e a “gravidade da incapacidade neurológica subsequente”, escreveram os pesquisadores.

“A otimização do tratamento de comorbidades psiquiátricas [distúrbios] deve ser explorada como um meio de mitigar potencialmente a progressão da incapacidade na EM”, sugeriu a equipe.

Fonte: Multiple Sclerosis News Today, https://bit.ly/2G6DJyh – Traduzido Livremente.

ame

A AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose nasceu do sonho de divulgar a EM e contribuir com a busca de diagnóstico precoce, tratamento adequado e melhora na qualidade de vida dos pacientes, seus amigos e familiares. Somos uma Organização sem Fins Lucrativos que, desde 2012 reúne amigos múltiplos com uma missão de compartilhar informação de qualidade sobre a EM de forma gratuita e acessível.

VER TODOS POSTS