AUBAGIO É APROVADO PARA O SUS

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Hoje temos a felicidade de dar uma grande notícia para a realidade da EM no Brasil: mais um remédio foi aprovado para distribuição pelo Sistema Único de Saúde, o Aubagio.

O Aubagio (Teriflunomida) foi aprovado pela Anvisa em 2016, para uso no Brasil. E em janeiro de 2017 passou por uma consulta pública, da qual nós participamos ativamente, para ser incorporado como terapia no SUS. Relembre essa consulta pública clicando aqui.

Com a união de pacientes, médicos e pesquisadores, mostramos que #JuntosSomosMaisFortes e a Conitec aprovou a dispensação da Teriflunomida pelo SUS.

Ainda que você não faça uso da teriflunomida, a incorporação dessa tecnologia no SUS é de extrema importância na ampliação das possibilidades de tratamentos, e tem um impacto enorme na vida de quem vive com Esclerose Múltipla. Como a EM é uma doença progressiva ainda sem cura, manifestando diferentes sintomas em cada paciente, é muito importante disponibilizar um arsenal terapêutico o mais completo possível, para que o médico e o paciente tenham maiores opções no momento de definir o tratamento do paciente, de acordo com as especificidades de cada caso.

O #AprovaAubagio deu resultado, graças a união de todos nós!

Saiba mais sobre esse medicamento oral, de uso diário, em nossas antigas reportagens:

– Genzyme apresenta tratamento de primeira linha para EM

– GENZYME APRESENTA ESTUDOS INÉDITOS SOBRE ESCLEROSE MÚLTIPLA EM ENCONTRO DA ACADEMIA AMERICANA DE NEUROLOGIA

– AUBAGIO® PODE RETARDAR A ATROFIA CEREBRAL EM PESSOAS COM EM

– NOVA ANÁLISE SUGERE QUE O AUBAGIO® (TERIFLUNOMIDA) PODE RETARDAR ATROFIA CEREBRAL EM PESSOAS COM EMRR

Em breve, traremos mais novidades sobre as recomendações de uso do Aubagio.

Fonte: Redação AME – Amigos Múltiplos pela Esclerose

Explore mais

Clube AME

O poder da soneca na Esclerose Múltipla

Descansar um pouco durante o dia pode ajudar a prevenir a fadiga, que é um dos principais sintomas da esclerose múltipla. Quais são os efeitos disso? Como deve ser praticado?