As coisas mudaram um pouco

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
De um tempo para cá, as coisas começaram a mudar um pouco… não sabemos dizer ao certo de quanto tempo para cá, mas começamos a sentir algumas mudanças. 
"Ela" sempre muito ativa, "marombeira", corredora frenética nas corridas, começou a sentir uma dormência em uma das mãos, depois de um tempo nas duas. 
Começou a observar que a sua "passada" ao caminhar em um ritmo mais pesado, ficava bamba, estranho… até que um dia veio a tona um sintoma pior, afetando as pernas. 
Os músculos se foram ao emagrecer sem um "motivo", afinal não sabíamos ao certo o resultado final. 
Fomos em um Neurologista e uma pilha de exames foram feitos. 
Ok, deu o que já esperávamos no decorrer dessas mudanças de sensações, sendo EM. 
Imediatamente uma sensação de LUTO veio a tona, fazendo dos nossos dias mais escuros aparentemente. 
O que esperar da pulsoterapia?
Essa era a pergunta diária após a pulso, mas depois de exatamente 30 dias uma melhora começou a fazer parte dos nossos dias. 
Estamos aprendendo a conviver com a EM, além do pensamento positivo para viver um dia de cada vez. Uma série e exercícios estão sendo feitos, tipo: emocional, relaxamento, musculação, funcional, caminhada, pequenas corridinhas… tudo o que pode fazer o bem, que mal tem?
É muito importante uma alimentação saudável, pois existem muitos alimentos que na EM são muito importantes. 
Sucos e mais sucos de frutas diversas, gelatinas, peixes, dentre outras coisas. 
Temos que pensar sempre muito positivo e acreditar no poder de Deus, pois estamos aprendendo que para cada porta existe uma chave. 
A incerteza do que está por vir as vezes maltrata, deixa os pensamentos a mil, mas não temos que ter medo e sim ter força e coragem para enfrentar a EM, pois termos EM não significa que a EM nos tem. Isso faz toda a diferença!
Não sabemos se um novo surto virá, quando virá e se virá, e com isso pergunto: iremos viver em função de uma espera por novos surtos?
A resposta é NÃO! A cabeça estando boa, os dias se tornam melhores e nada como um dia após o outro. Se for para aprender a conviver com a fadiga, queimação nas costas, insônia, iremos aprender… Deus está no comando e isso faz toda a diferença!
Um dia desses, um desafio foi lançado por nós, sendo subir a trilha dos dois irmãos no rio de janeiro e acreditamos que iremos conseguir. Essa é a nossa meta inicial e assim iremos dar notícias, afinal também iremos fazer parte dos "viajantes esclerosados". 
 
Galera, juntos somos mais fortes e seremos um furacão onde essa força que vem de dentro, nos fará bem maior!
 
 
Beijos múltiplos. 
 
Sabi e K.

Explore mais

Coronavírus

O caminho de volta

por Suzana Gonçalves Há quase dois anos fomos literalmente surpreendidos pela pandemia, dúvidas no ar… Como nossos corpos com esclerose múltipla irão se  comportar diante

Diagnóstico

Como tudo começou…

por Fabiana Rosa Olá, meu nome é Fabiana Rosa, mas você pode me chamar de Fabi 😉 Quando recebi meu diagnóstico do Esclerose Múltipla em