Conhecendo Portugal

Querid@s Amig@s Múltipl@s, quem vai começar a contar relatos de viagens é esse querido casal, a Elisabete e o Leo, que adoram viajar e nos mandaram um pouco sobre suas aventuras pelo mundo. Hoje eles nos contam sobre sua passagem por Portugal:

PORTUGAL

Eu sou a Elisabete e meu marido, Leonardo, é portador de EM há mais de 20 anos! Caminha com bengala ou andador, mas, para grandes deslocamentos, não podemos abrir mão da cadeira de rodas.

Resolvemos escrever pois sou apaixonada por viagens e o Leo também começa a pegar gosto pela coisa rs então bora pensar num destino!!!!!

Em 2015 resolvemos viajar para Portugal, um sonho antigo, mas não basta dizer: VAMOS; é preciso que tudo seja muito bem planejado desde a compra da passagem até a escolha dos hotéis. Escolhemos viajar no início de dezembro, já com baixa temperatura em Portugal.

Por isso, sempre preferimos contar com o apoio de uma agência de viagens mesmo que não seja para pessoas com necessidades especiais. É importante ter um agente de viagens, que transmita segurança e esteja mais interessado que simplesmente vender.

Para Portugal optamos sair com todo o roteiro programado desde o Brasil e por isso fizemos um circuito de 11 dias.

Viajamos pela cia TAP e o atendimento para PNE desde o aeroporto até a chegada foi excelente .

Dica: aconselho contato com a cia aérea para solicitar um comprovante sobre o serviço para despachar a cadeira de rodas. Ah! Esse serviço não tem custo adicional! No caso do Leo ele foi com a cadeira até a entrada da aeronave e depois caminhando até a poltrona .

Outra coisa importante é se certificar sobre a acessibilidade nos hotéis. Isso pode ser feito por email ou consultando obooking.com. Acho email mais seguro para este tipo de informação!

Já em Portugal, temos a dizer que visitamos o país de norte a sul. Passeios já contratados e feitos de van. Em todos os passeios, recebemos muito a ajuda dos portugueses tanto para auxiliar a subir nos degraus da van como para transportar a cadeira.

As cidades, embora antigas, oferecem calçadas largas e guias rebaixadas promovendo acessibilidade. Mas atenção: a cidade de Évora (sul de Portugal) é muito antiga e com muitos paralelepípedos altos e não aconselho a subir até as ruínas de cadeira de rodas. Tivemos problemas devido a terreno acidentado. Nesse caso, é melhor falar com guia de viagem e ver se pode ir de carro até o topo. Em Évora, está a Capela dos Ossos, fica dentro de uma igreja e tem acessibilidade!

Outra cidade que tivemos um pouco de dificuldade foi em Óbidos, no caminho para Fátima, também é uma cidade bonita, mas os paralelepípedos e a multidão impedem que o passeio seja tranquilo.

Já em Fátima, pode contar com acessibilidade não só na Basílica como também nas lojas e restaurantes.

Porto é uma linda cidade, com o terreno acidentado mas os passeios são possíveis sem problemas pode-se contar com rampas de acesso nas igrejas etc. Além disso, oferecem um passeio de barco pelo Rio Douro, é imperdível e adivinhem…tem rampa até o barco e não houve dificuldade alguma!

Braga e Guimarães são cidades pequenas, antigas, belas e acessíveis embora com alguns declives. Coimbra também é linda. O acesso à universidade só é possível em algumas partes com a cadeira de rodas, mas, mesmo assim, dá para conhecer bem.

Andamos por cidades menores e visitamos o Castelo dos Templários, mas esse, infelizmente, não tem acessibilidade alguma. O Leo só conheceu o jardim do Castelo. Ainda fizemos passeio de funicular, perfeitamente possível. Alguns locais com escada, mas mesmo assim vale a pena pela vista que se tem lá do alto. Outro passeio foi de moliceiro (uma espécie de gôndola) na cidade de Aveiro, super tranqüilo para ‘embarcar’.

Lisboa tem ótima acessibilidade, o Centro da cidade é plano, os locais com os principais monumentos também! Não deixem de comer bolinho de bacalhau e pastel de Belém. A maioria dos restaurantes dispõe de rampas. Mesmo que não tenham, os portugueses são muito solícitos e ajudam muito!

Quanto aos hotéis, não solicitamos quarto para PNE e, mesmo assim, não enfrentamos nenhuma dificuldade.

Contei com a ajuda do meu pai nessa viagem, ele é um sogro excelente!

Roteiro super indicado! Se quiser menos correria, opte por passar mais dias em Lisboa e em Porto, mas não deixe de ir à Fátima e a Coimbra também!

Pessoal, fazer um circuito exige muita disposição e tem horas que fica cansativo principalmente tendo que levar /empurrar uma cadeira de rodas em subidas e em paralelepípedos. Mas mesmo que seja num ritmo mais lento, pudemos aproveitar muito e tirar lindas fotos. O importante é não colocar mais barreiras além das que já existem! Planejem, estudem os roteiros e as opções de passeio, economizem e… boa viagem!