Neurite Óptica | AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

ENTRE EM CONTATO [email protected]
LIGUE (11) 3181-8266

Neurite Óptica

O que é?
Inflamação do nervo óptico (o nervo óptico é responsável pela transmissão da imagem captada pelo olho até o cérebro).

Como é diagnosticada?
Os pacientes geralmente se queixam de diminuição súbita da visão, caracterizada por embaçamento das imagens, mancha escura no centro do campo de visão, redução do brilho e desbotamento das cores.
Alguns pacientes podem apresentar dor ao movimentar os olhos.
O exame oftalmológico completo é fundamental para que se chegue ao diagnóstico correto.
Testes complementares como exame do campo visual e exame de imagem da cabeça (ressonância magnética) são comumente utilizados.

Neurite óptica e a esclerose múltipla (EM)
Aproximadamente50 a 60% dos pacientes que apresentam neurite óptica desenvolvem EM ao longo do tempo.
O inverso também é verdadeiro, ou seja, aproximadamente 50 a 60% dos pacientes com EM apresentarão episódio(s) de neurite óptica durante a vida.
Outro dado importante é que, em 20% dos casos de EM, a primeira manifestação é a neurite óptica.

Tratamento
O tratamento do episódio de neurite óptica pode ser feito com pulsoterapia de corticóide (injeção endovenosa) seguido de corticóide via oral. Isso aumenta a velocidade de recuperação, mas não altera a capacidade visual final. Por isso, em alguns casos, aconselha-se apenas observação.
Uma vez estabelecido o diagnóstico de EM, o tratamento da própria EM com medicações adequadas (ex.: interferon, glatiramer) é fundamental para reduzir a quantidade e gravidade das complicações da doença.

Prognóstico
As chances de recuperação da visão após episódio de neurite óptica são boas.
Após a recuperação, muitos pacientes relatam redução permanente da percepção de contraste e das cores no olho afetado.
Além disso, alguns pacientes apresentam o chamado sinal de Uhthoff, que é caracterizado embaçamento da visão quando aumenta a temperatura do corpo (ex.: exercício, banho quente).
Aproximadamente 30% dos pacientes que já apresentaram neurite óptica terão outro episódio no mesmo olho ou no outro olho ao longo da vida.

Colaborador: Dr. Vinicius Saraiva (CRM-SP 97.303)

Graduado em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (1999), residência médica em Oftalmologia pela Universidade Federal de São Paulo (2003), doutorado em Medicina (Oftalmologia) pela Universidade Federal de São Paulo (2004) e pós-doutorado pela University of Toronto, Canadá (2007). Fez fellowship de Patologia e Oncologia Ocular na McGill University, Canadá (2003-2005) e clinical fellowship de doenças e cirurgia de retina e vítreo na Dalhousie University e University of Toronto, Canadá (2006-2007). Atualmente é oftalmologista da Universidade Federal de São Paulo. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Oftalmologia, atuando principalmente nos seguintes temas: doenças e cirurgia de retina e vítreo e melanoma uveal.

 E por falar em neurite óptica…

A CURA!?

Oiê meus queridos amigos múltiplos. Espero que estejam bem. Acredito que todos estão acompanhando as novidades da AME com a Dra Raquel Vassão, ela esteve esses dias numa Live do Instagram onde falou sobre o Coronavírus, pesquisas científicas e respondeu algumas questões. Estou na vida com esclerose múltipla há 13

Ler Mais

Qual o estereótipo de uma pessoa que tem EM?

Oii, meus Raros, Tudo bem?   Meu primeiro post aqui. Estou nervosa, mas vamos lá! Desde o meu diagnóstico, fui taxada como garota propaganda da EM, pois eu não tinha os “requisitos” necessários para ser uma pessoa com uma doença autoimune e crônica, na verdade, eu nem sabia que existia,

Ler Mais

Só por hoje

Oi Amigos, tudo bem? Espero que sim! Este isolamento me fez lembrar de um texto que posto a seguir: “ 1. Só por hoje, tentarei viver exclusivamente este dia, sem querer resolver de uma só vez o problema da minha vida. 2. Só por hoje, serei cortês, não criticarei ninguém

Ler Mais

Medo e autocuidado (Parte I-ii)

Eu tenho medo. Confesso, eu tenho medo. A Esclerose Múltipla geralmente é definida como uma doença do Sistema Nervoso Central  (SNC), autoimune, degenerativa, incurável, mas não letal. Todavia, essa definição esconde uma particularidade. Por um lado, esconde uma verdade, de que tudo aquilo que recebe estímulo dos neurônios e é

Ler Mais