AME - Amigos Múltiplos pela Esclerose

LIGUE (11) 3181-8266

Incontinência Urinária

Muitas pessoas com EM experimentam uma série de problemas na bexiga, incluindo a incontinência urinária. A incontinência urinária pode variar de vazamentos ocasionais ao tossir ou espirrar até impulsos súbitos de urinar ao longo do dia, às vezes com vazamento antes de chegar ao banheiro.

Existem várias abordagens bem-sucedidas para tratar e administrar a incontinência urinária em pessoas com EM.

Principais causas da incontinência urinária na EM

Existem várias causas de incontinência urinária na EM, incluindo:

1.Incontinência de urgência, que ocorre quando há lesão do nervo na parte do cérebro e da medula espinhal que controla a bexiga. Isso resulta na necessidade de urinar com maior frequência e urgência à medida que a bexiga se torna hiperativa.

2. Incontinência de esforço, que ocorre quando a urina vaza ao tossir, rir ou espirrar. Isso acontece porque os músculos do assoalho pélvico estão fracos. Em pessoas com EM, isso é resultado de um comprometimento das mensagens dos músculos do assoalho pélvico.

Algumas pessoas com EM podem sofrer de ambas as condições.

Diagnóstico de incontinência urinária em pessoas que convivem com EM

Antes do tratamento ser determinado, existem alguns exames médicos que devem ser realizados, como uma análise de urânio para procurar sangue na urina, um exame urodinâmico e uma ultrassonografia renal. O teste de urodinâmica é o padrão ouro e é uma avaliação computadorizada da função geral da bexiga. Consiste em colocar um pequeno cateter conectado a um monitor de computador na bexiga e enchê-lo de água em tempo real. Enquanto a bexiga está sendo preenchida, o técnico faz as perguntas ao paciente. Após o preenchimento, o paciente urina em uma máquina especial que informa o médico sobre pressão e fluxo.

Depois, uma ultrassonografia renal é frequentemente usada para determinar se os rins estão funcionando normalmente.

Fonte: Multiple Sclerosis News Today

 E por falar em incontinência urinária…