Doenças raras e políticas públicas serão destaque no FAS 2017

24 . Out . 2017   /  Eventos
A edição deste ano do Fórum Atores da Saúde 2.0 vai apresentar informações muito importantes e atualizadas sobre a regulação das pesquisas clínicas em doenças raras, com a participação da Conep (Comissão Nacional de Ética em Pesquisa).
 
"O tema foi debatido entre os participantes do Fórum no ano passado. E nós conseguimos promover mudanças no setor. Nesta edição, a Conep estará presente. A comissão tem agora uma regulamentação especial para doenças raras. Não podemos citar o evento do ano passado sem correlacionar com todas as conquistas que obtivemos até agora", afirma Gustavo San Matin, superintendente da AME e idealizador do FAS.
 
Dados atualizados sobre políticas públicas também serão destaque no Fórum deste ano, principalmente sobre como organizações que representam pacientes conseguem debater temas fundamentais, reunindo na mesma mesa a Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde) e a indústria farmacêutica.
 
"A meta é discutir melhores formas de estabelecer uma estratégia para apresentar no Fórum de 2018 mais um caso de sucesso", destaca Gustavo.
 
O próprio formato do FAS é revolucionário. Principalmente em eventos do terceiro setor, é habitual que os participantes subam ao palco para falar sobre suas atividades, usem uma determinado tempo, com apoio de slides proetados em um telão, mas não há uma comunicação posterior, a conexão fica perdida e quem buscava conhecimento acaba deixando o evento decepcionado.
 
"Neste ano usamos com base o modelo do TED Talks, no qual cada palestrante tem cinco minutos para expor suas informações e, após se apresentarem, todos serão reunidos em uma roda de discussão. Eliminamos as falas exclusivas e prolongadas. Será uma conversa que resulta na promoção do conhecimento", diz o superintendente da AME.
 
O FAS também quer levar ao congressista, a quem está na platéia, a compreesão sobre suas responsabilidades no que diz respeito a crescimento pessoal e profissional.
 
"O momento de fazer uma pergunta será um desafio. E exemplo do que ocorre em audiências públicas, quando as organizações têm 15 minutos para falar sobre um universo de informações e de todos os problemas do Brasil, no Fórum o participante terá um minuto cronometrado, com imagem no telão, para fazer a pergunta e, após esses 60 segundos, o microfone será desligado. É uma maneira de mostrar a importância da objetividade e da precisão", comenta Gustavo San Martin.
 
2016 - Na edição do ano passado, o Fórum reuniu mais de 150 instituições que trabalham pela saúde no Brasil. Além da capacitação dos representantes dessas organizações, o evento reconheceu também as iniciativas de três atores da saúde por suas histórias em três categorias: imprensa, ativismo e organizações.
 
Um dos painéis mais produtivos do evento tratou da captação de recursos, com a participação de pessoas que atuam na área de capitalismo consciente e mantêm relações com empresas comprometidas com o impacto social de suas atividades.
 
Haverá muitas surpresas para quem estiver presente na edição de 2017 do do Fórum Atores da Saúde 2.0. Faça sua inscrição gratuita: http://bit.ly/2l4p1xW
 
Confira a programação completa: http://atoresdasaude.org.br/agenda/
 
Luiz Alexandre Souza Ventura, especial para a AME
luiz.ventura@amigosmultiplos.org.br

Fonte: Redação AME

mail link